Casal Wanderlust

O que fazer em Durban, na África do Sul

Durban, a terceira maior cidade da África do Sul, é um destino super procurado por surfistas do mundo todo, mas pouco lembrado pelos turistas, especialmente nós, brasileiros. Se Joanesburgo muitas vezes serve apenas como ponto de conexão para muitos, Durban então, nem se fala. 

Nós passamos 4 dias por aqui e adoramos essa cidade que é cheia de atrações gratuitasQuer ver só?

Como explorar Durban gastando muito pouco

Todas as atrações que relataremos neste post (com exceção do Hare Krishna Temple) foram locais que visitamos a pé ou utilizando o ônibus People Mover.

Ônibus People Mover

Uma sacada fantástica! O People Mover não é necessariamente um ônibus de turismo, mas te leva para praticamente todas as atrações na região central de Durban e custa uma pechincha:

O trajeto único custa USD 0,50 ou USD 1,25 para usar o dia todo – embarcando e desembarcando quantas vezes quiser.

O ônibus passa por esses pontos do mapa a cada 15 minutos.

Mapa ônibus People Mover

E o que fazer por lá?

Como dissemos, a cidade possui uma série de atrações e museus gratuitos.

Andar pela orla da praia, a Golden Mile

As praias de Durban ocupam uma longa faixa de areia dourada, conhecida localmente como Golden Mile. Uma área deliciosa para fazer caminhadas, correr ou se você preferir, pode até alugar uma bicicleta para circular por toda a orla.

Golden Mile

Old Court House Museum

💰💰 Todos os museus que visitamos na cidade são de graça 💰💰

O Old Court House Museum é o prédio mais antigo do centro de negócios de Durban. Era lá que os Africanos negros solicitavam autorização para entrar na cidade e também foi lá que Gandhi, no início de sua vocação como ativista, foi convidado a deixar o tribunal por um juiz, pois estava usando turbante.

Em nossa visita, o museu continha uma breve exposição sobre a participação de Durban na primeira guerra mundial, além de trazer uma outra parte dedicada a objetos antigos.

Durban Natural Science Museum

O Museu de Ciências Naturais de Durban não é tão grande quanto o Museu de História Natural de New York, mas tem todo o seu valor. Com uma série de animais interessantes e uma parte específica sobre nossos ancestrais.

Você sabia que o homem moderno surgiu no continente africano há 75.000 anos e não há 40.000 na Europa como se costumava acreditar? Pois é! Nesse museu você poderá ver isso tudo e muito mais.

Além do museu, o prédio também abriga uma biblioteca com Wi-Fi free!

Praça City Hall

Ao lado do Museu de Ciências Naturais está essa charmosa praça. O prédio de arquitetura belíssima ali atrás é hoje uma repartição pública.

City Hall

Nos arredores da praça fica a central dos correios e também uma feirinha de rua que vende desde roupas até comidas e utensílios domésticos.

Victoria Market

A parada número 52 da linha circular vermelha do ônibus People Mover te levará até o Victoria Market.

Um mercado que vende todo tipo de temperos e especiarias da Índia, além de artesanatos, roupas indianas e bugigangas da china, algumas bem úteis aliás. Aproveitamos para comprar um cortador de unhas, já que esquecemos o nosso no Brasil…rs.

Museu do Holocausto

Mais um museu gratuito e interessantíssimo que conta um pouco das histórias e tristezas do holocausto, esse período tão sombrio do passado recente da humanidade.

Impossível não traçar um comparativo entre essa atrocidade cometida contra os judeus com o Apartheid, período que tanto maltratou a população negra da África do Sul. O holocausto matou mais de 6 milhões de judeus, e embora o Apartheid não tenha feito tantas vítimas fatais, o período de segregação racial condenou milhões de famílias à miséria.

O que aprendemos com o Holocausto? Em diversos momentos o museu nos leva a refletir sobre a “não ação”. Ou seja, não agir contra uma injustiça, mesmo que esta não seja cometida contra nós, também é um erro.

Gugu Dlamini Park

Conhecido como Central Park, este é um delicioso espaço de Durban onde você poderá relaxar, ver o pôr do sol ou fazer um piquenique ao final do dia. Ao lado do parque fica o Workshop, um local onde há uma rede de supermercados e diversas opções de fast-food para você comprar comida.

Reconhece essa fitinha gigante ali atrás?

É a fitinha vermelha que simboliza a luta contra o HIV (AIDS). A escultura gigante da fita da AIDS foi encomendada pelo então vice-presidente, Jacob Zuma, em 8 de julho de 2000, em memória dos sul-africanos que perderam a batalha contra a doença.

Museu do Apartheid

O museu do Apartheid de Durban é bem menor que o de Joanesburgo, mas não deixa de ser muito interessante.

Foi lá que aprendemos que em 1908 os negros foram proibidos de produzir e vender cerveja. Eles eram obrigados a comprar e consumir a bebida somente nos Beerhalls – locais controlados pelo município.

Na cultura africana as mulheres eram encarregadas de fazer a cerveja. A proibição dos negros de produzi-la causou um grande problema nos lares, já que além de perderem a receita com a produção e comercialização da bebida, os homens estavam gastando muito dinheiro nas Beerhalls. Isso tudo somado ao fato das famílias terem sido obrigadas a se mudar da região onde moravam para dar lugar a novas residências para pessoas brancas, levou as mulheres a uma rebelião armada em 1959.

uShaka Marine World

Um imenso parque aquático, cheio de atrações, incluindo um gigantesco aquário onde você pode até alimentar os tubarões. Ái que medo!

No dia em que planejávamos ir o tempo estava super nublado. Desistimos, pois dentro do complexo há também um Wet ‘n Wild, um parque aquático que pede um dia ensolarado, né verdade? Mas se puder, aproveite. É uma ótima opção para ir com crianças.

Mas mesmo para os adultos radicais deve ser interessante também, pois no parque está localizado o maior toboágua da África!

Tabela de preços do uShaka Park em Junho de 2017

Os preços variam de USD 3,80 para alimentar os peixinhos, até USD 60,00 para ver um show de golfinhos. Se quiser maiores informações, é só clicar aqui.

Estádio Moses Mabhida

Um dos estádios construídos para a Copa do Mundo de 2010.

A visita guiada ao estádio custa USD 3,90.

Como não tivemos oportunidade de assistir a nenhum jogo da copa, nem em 2014 no Brasil, foi interessante ver como é o estádio por dentro e como ele foi projetado para continuar gerando receita mesmo após os jogos.

Subindo ao topo do estádio

Por mais USD 4,70 você pode subir ao topo do estádio de bondinho (indicação da seta na foto) e ter uma visão bem bacana da cidade.

Pulando no pêndulo dentro do estádio

E por mais USD 55,00, e se gostar de atividades radicais, você poderá se jogar em um pêndulo dentro do estádio. Nós não saltamos, mas se você quiser saber como é, clique aqui.

Hare Krishna Temple

O Hare Krishna Templo fica um pouco afastado do centro da cidade. Para ir até lá nós pegamos um táxi (uma minivan) na rua Monty Naicker Road (em frente a loja Game).

A visitação ao templo é gratuita e vale super a pena. Veja que lugar mais lindo!

Dentro do Templo Hare Krishna de Durban

➡️  Veja aqui um post completo sobre o templo.

Onde se hospedar em Durban

Nós ficamos no Union Hotel, no centro de Durban, e pagamos USD 25,00 por um quarto bem bacana.

O hotel fica a poucos quarteirões da praia, porém em uma região que demanda cuidados, principalmente no fim do dia.

Mas há diversas opções de hospedagem em Durban. Procure seu hotel no link abaixo, você não paga mais nada por isso e ainda nos ajuda a manter o blog.


Booking.com

Segurança

Já em nossa chegada ao hotel fomos informados que a região onde estávamos, a região central, não era segura.  Mas sinceramente, durante o dia andamos tranquilamente a pé pela região e não tivemos nenhum problema. Também andamos de ônibus sem nenhum stress. A noite não demos mole pela região, e assim nos sentimos muito seguros de maneira geral.

Preço da cerveja

Pagamos USD 2,15 pela Castle Lite em um restaurante localizado na Florida Road, uma região bem legal e cheia de restaurantes que também vale a pena conhecer.

Visto

Brasileiros não precisam de visto para a África do Sul. Você precisa somente do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela.

Tomadas

As tomadas aqui na África no Sul são assim:

Tomadas em Durban

Essa aí tá bem sujinha, aliás…rs

Mas é comum encontrar adaptadores para os plugs brasileiros nos hotéis e mesmo nas casas dos sul-africanos.

Idioma

São 11 os idiomas oficiais falados por aqui. E o bom e velho inglês é um deles.

Moeda

A moeda da África do Sul é o Rand.

Em Julho de 2017 a cotação do Rand era de 1 USD = 13,50 ZAR.

Quando visitar

O clima por aqui acompanha o do Brasil, ou seja, quando for verão na terrinha, será verão por aqui também, idem no inverno. Ao contrário de Cape Town, a água do mar em Durban não é gelada.

Aproveite e leia também:

Preparativos para a viagem de volta ao mundo

Bem-vindo à Suazilândia

Constitution Hill, um interessante museu em Joanesburgo

O que fazer em Joanesburgo

8 comentários sobre “O que fazer em Durban, na África do Sul

  1. rayaneaz

    Que máximo! Já gostei quando li “atrações gratuitas” e mais ainda depois de ler o post. Casal, vocês estão arrasando nesse início de viagem. To adorando acompanhar! Bjsss

  2. Paula Marques

    Camila que legal seus relatos..acompanho todos e como conheci Durban quando morei em Tete fiquei encantada com suas dicas já que não consegui nem o Museu e nem o parque. Por coincidência fiquei nesse mesmo hotel! Um abraço e sigam contando todas essas preciosas dicas para nós…quem sabe um dia voltarei em Durban!

  3. Michele Martins

    Sabe uma cidade que dá pra sentir que luta pra história não ser esquecida, que lutar pelo melhor? Foi essa a sensaçao que eu tive com a leitura.
    Mais uma cidade pra nossa lista

    1. CASAL WANDERLUST Autor da Postagem

      Obaaa! Vocês vão adorar Durban, Mi!
      E é isso mesmo que sentimos aqui na África do Sul, essa luta pelo não esquecimento e a vontade de prosperar.
      Não tem como não amar! Né?
      Beijos

  4. Quero Mochilar

    Amei… vou para lá por 2 dias, e nem preciso mais ficar buscando informações.Valeu demais.

Deixe uma resposta