Um casal em uma viagem de volta ao mundo!

O que fazer em Fez, no Marrocos

Também conhecida como a “Atenas da África” devido a sua importância e riqueza cultural, Fez é uma das 4 cidades imperiais do Marrocos e ponto de parada obrigatória para quem estiver pelo país.

Perambular pelas vielas da Medina, conhecer a universidade mais antiga do mundo, visitar os famosos curtumes, experimentar a comida típica da região e, até fazer um bate e volta para a cidade de Meknès. São muitas as atividades que Fez tem a oferecer. Vem ver!

⚠️ Atualizado em Abril de 2019.

Os famosos curtumes de Fez

Onde se Hospedar em Fez

Em Fez nós nos hospedamos no Riad Mikou. Pagamos USD 20.00 por um quarto com banheiro privativo e café da manhã. O dono do Riad é um fofo! E como o hotel fica no meio da Medina de Fez (que é um labirinto) ele se ofereceu para ir nos buscar no ponto onde chegaríamos para nos guiar até o Riad. E foi lá que nós tomamos o melhor café da manhã de toda viagem pelo Marrocos.

Caso queira ver outras opções de hotéis, veja a seleção que nós preparamos para você, basta clicar aqui. Lembrando que ao utilizar o Booking.com você pode efetuar suas reservas em reais (R$) fugindo assim do IOF. E em muitos casos é possível fazer o cancelamento gratuitamente, caso seja necessário.

Nosso SUPER café da manhã no Riad Mikou, em Fez

O que fazer em Fez

Veja neste post as principais atrações de Fez. Nós visitamos todas as atrações da cidade caminhando.

A Medina de Fez

Tendo o Bab Boujloud (Blue Gate ou Portão Azul) como sua principal e mais famosa entrada, a Medina de Fez é um espetáculo à parte.

Também conhecida como Fes el Bali, a Medina possui ruas estreitas e centenas de pequenas lojas e restaurantes.

Blue Gate Fez

Blue Gate, uma das principais entradas para a Medina de Fez

É o lugar perfeito para passar pelo menos um dia inteiro somente vagando pelas coloridas vielas. Mas prepare-se! Pois ficar perdido na Medina de Fez faz parte do pacote.

São centenas de opções de lojas com produtos artesanais, temperos e comidinhas de rua. Uma verdadeira delícia. Nós comemos um monte de tâmaras. Elas custam muito barato por aqui.

Sem contar que esta parte da cidade é um exemplo vivo de como era uma cidade medieval nos primeiros anos do Islamismo no Marrocos. Não é à toa que é considerada Patrimônio Histórico Mundial.

Medina de Fez

Algumas das muitas lojinhas da Medina de Fez

Não deixe de se sentar em um dos vários restaurantes ao final da tarde para saborear um chá marroquino (chá de hortelã) e ficar observando o ir e vir de pessoas.

Com a impossibilidade de circulação de veículos, todo o transporte efetuado dentro da Medina é feito por animais.

Dá uma pena dos bichinhos…

Quanto custa: a entrada na Medina é gratuita.

Os Curtumes

Uma das imagens mais famosas de Fez, se não a mais famosa, é a vista aérea dos curtumes.

Os curtumes são dezenas de pequenos poços coloridos onde o couro é trabalhado. Dali sairá a matéria prima para confecção de diversos artigos de couro, como: sandálias, mochilas e bolsas. Itens que são facilmente encontrados à venda nas vielas da Medina.

Fez

Os curtumes de Fez

Várias lojas e os próprios curtumes chamam os turistas nas ruas para fazer uma visita ao terraço de onde se tem uma boa vista dos tanques. Algumas inclusive com placas informando que a visita é grátis, mas sempre pedem uma “contribuição” no final. O valor varia de MAD 10,00 ou USD 1,00 a MAD 30,00 ou USD 3,00 por pessoa.

O cheiro dos curtumes não é dos mais agradáveis. Pra falar a verdade é beeeem fedido mesmo, cheira pum, especialmente no verão, quando faz mais calor. Mas não se preocupe, normalmente é dado um ramo de hortelã na entrada para que os visitantes colocarem no nariz durante o tour.

Fez

Os curtumes de Fez

Quanto custa: em alguns casos você paga para subir nos terraços para ter essa vista de cima. O valor varia de MAD 10,00 ou USD 1,00 a MAD 30,00 ou USD 3,00 por pessoa.

Melhor lugar para ver os curtumes em Fez

O guia da Lonely Planet informa que o terraço da loja de número 10 é o que possui a melhor vista para o curtume. Adivinha só o que nós descobrimos assim que chegamos lá?

Várias lojas haviam colocado placas com o número 10 para enganar os turistas…hahaha. O povo não perde tempo 😂

Já que não tinha como saber qual era a loja 10 original, não teve muito jeito. Nós fomos na base da sorte mesmo. Mas acabamos tendo uma bela vista, anyway. Veja só:

Fez

Os curtumes de Fez

A Madrasa Bou Inania

A poucos minutos de caminhada do Blue Gate, a Madrasa (madraça, medersa, madraza ou medrese) Bou Inania é um dos poucos prédios religiosos onde não muçulmanos podem entrar.

Fundada no século XIV, funcionou até 1960 como uma escola religiosa e hoje pode ser visitada pelos admiradores de sua arquitetura.

Sua característica mais marcante é o minarete (a torre da mesquita) de azulejos verdes.

Madrasa Bou Inania em Fez

Interior da Madrasa Bou Inania

Quanto custa: a visita custa MAD 20,00 ou USD 2,00.

O Palácio Real

Embora o palácio mesmo não seja aberto a visitação, os 7 portões de entrada do Palácio Real fazem um cenário mais que ideal para tirar belas fotos. É um “must do” para fotógrafos profissionais e amadores.

Vista do exterior do Palácio Real de Fez

Quanto custa: não é permitido entrar no Palácio. Ficamos apenas com essa imagem de seu exterior.

O Quarteirão Judeu

A alguns minutos de caminhada do Palácio Real encontra-se o Mellah ou quarteirão judeu. O bairro que já foi moradia de aproximadamente 250.000 judeus, hoje abriga não mais de 80. Contudo, suas casas com varandas voltadas para rua em contraste com a arquitetura árabe ainda resistem.

Vista do terraço da Sinagoga em Mellah.

Além disso, ainda é possível visitar uma Sinagoga do século 17, que foi restaurada em 1999 com a ajuda da Unesco.

Para nós não valeu a pena pagar pela visita (é uma cilada, Bino!), mas se você for judeu ou se interessar pela cultura, talvez seja de seu interesse.

A caminho do quarteirão judeu

Quanto Custa:  valor da visita é de MAD 20,00 ou USD 2,00 e dá direto a conhecer também o cemitério judeu que fica no fundo da sinagoga.

A universidade mais antiga do mundo, a Universidade Al Quaraouiyine

Fundada em 859, a Universidade de Al Quaraouiyene ou Al Karaouine é considerada pelo Guinness como a universidade mais antiga do mundo.

Criada como uma madraça (escola de ensino do islã), a universidade tratava de assuntos diversos, como política e ciências naturais. Também foi um importante centro de intercâmbio de conhecimento entre muçulmanos e europeus.

Não é permitido entrar na universidade, mas é possível admirar seu lindo pátio com a tradicional fonte e seus mosaicos e arabescos da entrada.

Anexa a universidade fica também a mesquita de mesmo nome, uma das maiores do continente africano. Contudo, a entrada é somente permitida para muçulmanos.

Entrada para a Universidade Al Quaraouiyine

Quanto Custa:  não é permitido entrar, só dá para olhar de fora.

Hospedar-se em um Riad

Os Riads são antigas casas e palacetes que foram transformados em pousadas, dentro da Medina. E hospedar-se nestas construções torna sua visita ao Marrocos ainda mais única!

É surpreendente como suas fachadas simples podem levar a um interior lindamente ornamentado e agradável. Uma das principais características da arquitetura árabe!

Um dos Riads onde nos hospedamos. Mas há opções para todos os gostos e bolsos…rs.

Como chegar

Nós fomos para Fez a partir de Chefchaouen usando a empresa de ônibus Nejme Chamal. O custo da passagem foi de MAD 60,00 ou USD 6,00 por pessoa mais MAD 10,00 ou USD 1,00 por bagagem despachada.

Utilizamos a empresa Nejme pois queríamos sair o mais cedo possível de Chefchaouen, no primeiro ônibus, às 8:30h. O trajeto durou 6 horas.

Mas é possível também fazer este trajeto usando a empresa de ônibus CTM tanto de Chefchaouen como de Casablanca. Outra opção é ir de trem, operado pela empresa ONCF de diversas outras cidades (Casablanca, Marrakesh, etc.)

Onde Comer em Fez

Há diversos restaurantes espalhados pela Medina de Fez, mas há alguns perto do Blue Gate, na parte de dentro da muralha, onde um menu completo composto por entrada, prato principal e sobremesa, é oferecido por MAD 70,00 ou USD 7,00, com bebidas à parte.

Porém, com uma boa negociação você pode ter este mesmo menu, com bebida incluída, por MAD 50,00 ou USD 5,00. Negociar faz parte da cultura do Marrocos, nunca aceite o primeiro preço que lhe for oferecido.

Telefonia e Internet

Assim que chegamos no Marrocos, já no aeroporto, nós ganhamos um chip da operadora Orange.  Colocamos USD 20,00 de crédito e utilizamos dados e telefonia por 12 dias.

Chip da operadora Orange, no Marrocos

Moeda do Marrocos

A moeda do Marrocos é o Dirham Marroquino.

Em abril de 2019 a cotação do Dirham Marroquino era de 1,00 USD = 9,60 MAD.

Preço da Cerveja no Marrocos

Em um país de maioria muçulmana (muçulmanos não bebem), nós não esperávamos encontrar cerveja. Aliás, já tínhamos nos conformado em passar nossos dias no Marrocos bebendo “uísque beber”, como eles chamam o chá de hortelã marroquino que é muito consumido por todo o país.

Porém, encontramos cerveja sendo vendida em diversos restaurantes e até em supermercados locais. Os valores médios ficavam na casa dos USD 2,50. Sendo que a cerveja mais famosa por lá é a Casablanca.

Cervejas que compramos no Marrocos

Meios de Locomoção

Com exceção do tour de 3 dias que fizemos até o Deserto do Saara, no restante da viagem nós viajamos de ônibus e de trem, sendo este último o meio de transporte mais utilizado por nós.

Viajar de ônibus ou de trem pelo Marrocos é muito seguro e tranquilo. A CTM é a maior empresa de ônibus do país, fazendo o trajeto entre praticamente todas as cidades. Os ônibus são novos e muito confortáveis. Você pode comprar o bilhete pela internet ou em uma de suas agências.

E a empresa que faz o transporte ferroviário é a ONCF. Os trens são pontuais, limpos, confortáveis e uma mão na roda para aqueles que, como nós, gostam de viajar de maneira independente e mais econômica.

Nós compramos a maioria dos bilhetes na hora ou poucas horas antes da viagem.

o marrocos

Foto de um dos vagões do trem que liga o aeroporto de Casablanca ao centro da cidade

Visto para o Marrocos

Brasileiros não precisam de visto para visitar o Marrocos. Uma autorização de permanência de 90 dias é concedida na chegada ao país, sem maiores complicações. Bastará preencher um documento fornecido pelas autoridades. Se vier de avião o formulário será entregue pelo pessoal da companhia aérea ainda dentro da aeronave.

Comida Típica do Marrocos

Não há como falar sobre comida marroquina sem falar do cuscuz e do tajine. O cuscuz já era nosso conhecido, tanto em Minas como em Salvador já crescemos acostumados a comer cuscuz (embora o preparo seja bastante diferente nesses dois Estados). O cuscuz marroquino é bom, inclui legumes em seu preparo, mas não achamos muita graça.

Já o tajine nós adoramos! Os tajines são uma espécie de cozidos de legumes, que podem incluir carne ou não, e são feitos em uma vasilha específica de barro (que por sua vez também é chamada de tajine). Os sabores são muitos distintos. Alguns são muito apimentados, outros levam ameixas em seu preparo e comemos um que tinha muito coentro.

A culinária marroquina é rica no uso de especiarias. E se eu pudesse destacar um “defeito” do Marrocos meu voto seria esse: o coentro. Como eu não gosto eu acabei sofrendo um pouco, mas se você gosta, o Marrocos é o seu lugar! Veja mais sobre a culinária marroquina clicando aqui.

Tajine que comemos em um restaurante dentro de um mercado em Casablanca.

Roupas e comportamento

O Marrocos é considerado um país “muçulmano moderado”. Mas o que isso significa?

Quer dizer que apesar de ser um país onde a maior parte da população é muçulmana e segue os costumes e regras do Islã, no geral as pessoas no Marrocos são relativamente livres no que se refere aos costumes e dogmas. E que pouco se importam com o que as outras pessoas vestem, fazem ou pensam. Mas por outro lado, é um país bastante machista.

Loja de roupas na Medina de Fez, no Marrocos

Loja de roupas femininas na Medina de Fez

As mulheres não precisam usar o véu para sair às ruas (como as muçulmanas costumam fazer) mas mostrar demais o corpo é sinal de desrespeito com a cultura local. Contato íntimo entre os casais em público (amassos e beijos “calientes”) são também considerados falta de respeito. Cumprimentar as pessoas e comer com a mão esquerda também é desrespeitoso, visto que a mão esquerda é vista como suja. Mulheres fumando também não são bem vistas pelos locais.

Como vivemos em um país mais liberal, se é que assim podemos dizer, alguns costumes de países mais conservadores podem nos soar um tanto estranhos. Mas temos sempre que nos lembrar que visitar um país é como visitar a casa de um amigo. Quem estabelece as regras é o anfitrião e nossa obrigação é fazer da visita o mais agradável possível para ambos. Certo?

Em Marrakech nós vimos muitas mulheres com saias e shorts mais curtos. Você até pode usar mas vai atrair atenção desnecessária, além se soar como falta de respeito, na minha opinião. Então, se puder, abuse de saias e vestidos longos no calor.

Idioma

O árabe é a língua oficial do Marrocos. Mas também são falados os idiomas Berber, Francês e Espanhol, em algumas regiões.

Porém, você consegue se virar falando somente Inglês. E o Espanhol é bastante utilizado no norte, devido à proximidade com a Espanha pelo Estreito de Gibraltar e o grande volume de turistas espanhóis. Ou seja, até um “portunhol” pode ser que ajude a comunicação nesta região.

E aí, gostou de conhecer um pouco mais sobre Fez? Aproveita e dá uma olhada nestes posts também:

🌎  Acompanhe nossa viagem de volta ao mundo através de nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/casalwanderlustoficial

4 comentários sobre “O que fazer em Fez, no Marrocos

  1. MBraga

    Você disse que várias lojas colocaram o número 10. Você lembra de alguma maneira de identificar a loja que você escolheu?

    1. CASAL WANDERLUST

      Olá!
      Pior que não descobrimos um jeito de identificar qual era a número 10 certa…rs. Mas o fato é que todos os terraços que visitamos nos deram boas visões dos curtumes. Pode ir tranquilo!
      Abração!

Deixe uma resposta