O que fazer em Chefchaouen, a cidade azul do Marrocos

Chefchaouen é a cidade azul do Marrocos. A queridinha de viajantes e fotógrafos do mundo todo que buscam a beleza de suas construções azuis, a calmaria de seu ar de cidade do interior, ou ainda a erva mágica que lhe é oferecida sem muitos pudores assim que você coloca os pés na cidade…rs. Tenha calma que em breve você compreenderá essa parte 😂

Chaouen, como é carinhosamente chamada pelos locais, é uma cidade mais tranquila, especialmente se a compararmos com Marrakech, por exemplo. Nós ficamos 3 dias por lá e achamos que foi tempo para explorar tudo o que a cidade tem a oferecer.

⚠️ Post atualizado em abril de 2019.

Chefchaouen

Uma das muitas ruelas azuis de Chefchaouen

Chefchaouen – a capital da Maconha

Para surpresa de muitos, inclusive a nossa, Chefchaouen também virou uma espécie de capital da maconha no Marrocos.

Por lá a plantação e venda de maconha é feita com muita naturalidade. Virando atração para muitos jovens turistas que vêm conhecer a região que produz, aproximadamente, 40% de toda maconha consumida no MUNDO!!! Você sabia disso? 😱

O que fazer em Chefchaouen

Se você ficou curioso, segue com a gente para ver o que a cidade azul tem a oferecer.

Detalhes de Chefchaouen

Medina

Medina é a parte antiga, dentro das muralhas, das cidades árabes. Andar e perder-se pelas ruazinhas estreitas, azuis e cheias de lojinhas de artesanato da medina é uma das melhores coisas para se fazer em Chefchaouen. Diferentemente de Marraquexe e Fez, ali você pode andar tranquilamente apreciando as belezas das vielas azuis e dos produtos locais. Atividade que pode e deve ser feita com calma já que os vendedores da região são mais tranquilos e não tão insistentes quanto os que vimos nas demais cidades do Marrocos. Reserve pelo menos um turno inteiro do seu dia para apreciar a cidade antiga.

Chefchaouen

Sinta todos os sabores e cores das lojas da Medina

Kasbah e a Praça Uta el-Hammam

Os Kasbah ou Casbás são espaços fortificados de origem berbere. Encontramos este tipo de arquitetura por boa parte do Marrocos.

O Kasbah de Chefchaouen foi um dos primeiros prédios a ser construído na cidade. O mesmo servia para proteção contra ataques, invasões e até mesmo contra o frio. Transformado atualmente em um museu etnográfico, ele ainda abriga um pequeno jardim e uma galeria de arte. Sem contar que você também pode ter uma linda vista da Medina de uma de suas torres.

Chefchaouen

O Kasbah de Chefchaouen

A praça Uta el-Hammam fica bem em frente ao Kasbah e é cheia de restaurantes e lojinhas de artesanato. É um ótimo lugar para se almoçar depois de ter andado pela Medina ou para tomar um bom whisky berbere (chá marroquino) observando o vai e vem de pessoas.

Umas das muitas ruelas azuis

Tour pelas Plantações de Maconha

Logo quando chegamos em Chefchouen, dentro do táxi que pegamos da rodoviária para o hotel, já nos ofereceram haxixe e maconha. Lembro da Camila ter ficado assustada pensando que era algum tipo de esquema com a policia local que apareceria a qualquer momento pedindo dinheiro para não sermos presos por tráfico de drogas…hehehe. Mas o que aprenderíamos já no dia seguinte é que a cidade é muito conhecida por sua produção de maconha. E que apesar de seu consumo não ser legal, é muito usada e comercializada ali. Atraindo centenas de turistas do mundo inteiro que vêm conhecer as plantações e provar do seu produto de alta qualidade.

Éramos abordados várias vezes ao dia por locais que nos cumprimentavam, perguntavam se estávamos buscando algum local para comer ou nos hospedar e logo em seguida nos ofereciam haxixe e uma visita guiada até as plantações que ficam nas montanhas, ao redor da cidade…rs. Este tour pode ser facilmente organizado em seu riad ou hotel em Chefchouen.

Herb

Assistir ao Pôr do Sol

A temperatura ao final da tarde normalmente é bem agradável em Chefchouen. Tornando a caminhada até os dois principais pontos para assistir ao pôr do sol mais tranquila. O local mais conhecido pelos turistas é o ponto de observação que fica em frente a Mesquita Jemma Bouzafar. De lá é possível ter uma vista quase que frontal da parte antiga da cidade. As casas azuis ficam espetaculares com a luz dourada do pôr do sol.

Outro ponto de observação é um mirador que fica do lado do Hotel Atlas Chaouen, no topo da cidade. Dali você terá uma vista quase que por trás da cidade. E, como passamos três noites em Chefchaouen, pudemos assistir ao pôr do sol de ambos os pontos. Contudo, não conseguimos eleger o mais bonito. ☺️

Chefchaouen

O sol se pondo, colorindo a montanha e a cidade azul

Catarata d’Akchour e Arco de Deus

Se voce tiver tempo, os arredores da cidade ainda oferecem duas atrações naturais que são muito bem avaliadas: a Catarata d’Akchour e o Arco de Deus.

Estas duas atrações tem o mesmo ponto de partida. Sendo necessário percorrer um caminho de aproximadamente 30 minutos de carro até o início da trilha de 2h30min de caminhada que o levará até a catarata. E o Arco de Deus, um arco natural em uma rocha, fica a aproximadamente 45 minutos de caminhada do mesmo ponto de origem.

A história romântica de Chefchaouen

A história da origem de Chefchaouen é uma daquelas histórias de amor que merecem até virar filme. Ali Ben Rachid, parente do então líder marroquino, apaixonou-se por Lalla Zhora. Lalla vivia na cidade espanhola de Vejer de La Fronteira, que na época fazia parte do al-Andalus, estado islâmico que ocupou boa parte do sul da Espanha.

Os dois se casaram, mas acabaram sendo expulsos da Ibéria Cristã durante o processo de reconquista da região pelos cristãos. De retorno ao Marrocos e vendo sua amada triste e com saudades de casa, Ali decidiu fundar uma nova povoação nas proximidades do vilarejo berbere onde estavam com as mesmas características da cidade natal de sua amada, marcada por ruas estreitas e sinuosas. E foi assim que surgiu Chefchaouen. A cidade logo virou refúgio para os muçulmanos e judeus que estavam sendo expulsos da Ibéria. Sendo estes últimos responsáveis pelo início da tradição de pintar as casas de azul. Tradição esta que fez a cidade ser conhecida internacionalmente.

Existem algumas teorias sobre os motivos pelos quais as paredes das casas e prédios tenham sido pintadas de azul. Um deles é de que cor azul remete à cor dos objetos sagrados no Velho Testamento, servindo assim como lembrança do poder de Deus sobre os judeus. O segundo é de que a cor azul simbolize o próprio paraíso. E há ainda uma terceira teoria de que a cor azul tenha sido usada para espantar mosquitos…rs.

Chefchaouen

O tranquilo cotidiano dos moradores de Chefchaouen

Como chegar

Nós fomos de ônibus de Casablanca até Chefchaouen usando os serviços da empresa CTM. O ônibus saiu da estação próxima ao Mercado Central (Marche Central) em Casablanca e custou MAD 150,00 ou USD 16,00.

Há somente um ônibus diário que sai às 13h30min e a viagem dura em torno de 7 horas.

Lembre-se do Seguro Viagem!

O seguro viagem é indispensável em uma viagem para o Marrocos. Nossa sugestão é fazer uma boa busca através da Segurospromo, um site que compara preços e te apresenta uma série de opções de seguro. Aí é só escolher a melhor opção para seu tipo de viagem. E utilizando nosso código: CASALWANDERLUST5 você ainda ganha 5% de desconto na hora!

Telefonia e Internet

Assim que chegamos no Marrocos, já no aeroporto, nós ganhamos um chip da operadora Orange.  Colocamos USD 20,00 de crédito e utilizamos dados e telefonia por 12 dias.

Chip da operadora Orange, no Marrocos

Moeda do Marrocos

A moeda do Marrocos é o Dirham Marroquino.

Em abril de 2019 a cotação do Dirham Marroquino era de 1,00 USD = 9,60 MAD.

Preço da Cerveja no Marrocos

Em um país de maioria muçulmana (muçulmanos não bebem), nós não esperávamos encontrar cerveja. Aliás, já tínhamos nos conformado em passar nossos dias no Marrocos bebendo “uísque beber”, como eles chamam o chá de hortelã marroquino que é muito consumido por todo o país.

Porém, encontramos cerveja sendo vendida em diversos restaurantes e até em supermercados locais. Os valores médios ficavam na casa dos USD 2,50. Sendo que a cerveja mais famosa por lá é a Casablanca.

Cervejas que compramos no Marrocos

Meios de Locomoção

Com exceção do tour de 3 dias que fizemos até o Deserto do Saara, no restante da viagem nós viajamos de ônibus e de trem, sendo este último o meio de transporte mais utilizado por nós.

Viajar de ônibus ou de trem pelo Marrocos é muito seguro e tranquilo. A CTM é a maior empresa de ônibus do país, fazendo o trajeto entre praticamente todas as cidades. Os ônibus são novos e muito confortáveis. Você pode comprar o bilhete pela internet ou em uma de suas agências.

E a empresa que faz o transporte ferroviário é a ONCF. Os trens são pontuais, limpos, confortáveis e uma mão na roda para aqueles que, como nós, gostam de viajar de maneira independente e mais econômica.

Nós compramos a maioria dos bilhetes na hora ou poucas horas antes da viagem.

o marrocos

Foto de um dos vagões do trem que liga o aeroporto de Casablanca ao centro da cidade

Visto para o Marrocos

Brasileiros não precisam de visto para visitar o Marrocos. Uma autorização de permanência de 90 dias é concedida na chegada ao país, sem maiores complicações. Bastará preencher um documento fornecido pelas autoridades. Se vier de avião o formulário será entregue pelo pessoal da companhia aérea ainda dentro da aeronave.

Comida Típica do Marrocos

Não há como falar sobre comida marroquina sem falar do cuscuz e do tajine. O cuscuz já era nosso conhecido, tanto em Minas como em Salvador já crescemos acostumados a comer cuscuz (embora o preparo seja bastante diferente nesses dois Estados). O cuscuz marroquino é bom, inclui legumes em seu preparo, mas não achamos muita graça.

Já o tajine nós adoramos! Os tajines são uma espécie de cozidos de legumes, que podem incluir carne ou não, e são feitos em uma vasilha específica de barro (que por sua vez também é chamada de tajine). Os sabores são muitos distintos. Alguns são muito apimentados, outros levam ameixas em seu preparo e comemos um que tinha muito coentro.

A culinária marroquina é rica no uso de especiarias. E se eu pudesse destacar um “defeito” do Marrocos meu voto seria esse: o coentro. Como eu não gosto eu acabei sofrendo um pouco, mas se você gosta, o Marrocos é o seu lugar! Veja mais sobre a culinária marroquina clicando aqui.

Tajine que comemos em um restaurante dentro de um mercado em Casablanca.

Roupas e comportamento

O Marrocos é considerado um país “muçulmano moderado”. Mas o que isso significa?

Quer dizer que apesar de ser um país onde a maior parte da população é muçulmana e segue os costumes e regras do Islã, no geral as pessoas no Marrocos são relativamente livres no que se refere aos costumes e dogmas. E que pouco se importam com o que as outras pessoas vestem, fazem ou pensam. Mas por outro lado, é um país bastante machista.

Loja de roupas na Medina de Fez, no Marrocos

Loja de roupas femininas na Medina de Fez

As mulheres não precisam usar o véu para sair às ruas (como as muçulmanas costumam fazer) mas mostrar demais o corpo é sinal de desrespeito com a cultura local. Contato íntimo entre os casais em público (amassos e beijos “calientes”) são também considerados falta de respeito. Cumprimentar as pessoas e comer com a mão esquerda também é desrespeitoso, visto que a mão esquerda é vista como suja. Mulheres fumando também não são bem vistas pelos locais.

Como vivemos em um país mais liberal, se é que assim podemos dizer, alguns costumes de países mais conservadores podem nos soar um tanto estranhos. Mas temos sempre que nos lembrar que visitar um país é como visitar a casa de um amigo. Quem estabelece as regras é o anfitrião e nossa obrigação é fazer da visita o mais agradável possível para ambos. Certo?

Em Marrakech nós vimos muitas mulheres com saias e shorts mais curtos. Você até pode usar, não existe nenhuma proibição. Mas vai atrair atenção desnecessária, além se soar como falta de respeito, na minha opinião. Então, se puder, abuse de saias e vestidos longos no calor.

Idioma

O árabe é a língua oficial do Marrocos. Mas também são falados os idiomas Berber, Francês e Espanhol, em algumas regiões.

Porém, você consegue se virar falando somente Inglês. E o Espanhol é bastante utilizado no norte, devido à proximidade com a Espanha pelo Estreito de Gibraltar e o grande volume de turistas espanhóis. Ou seja, até um “portunhol” pode ser que ajude a comunicação nesta região.

Esperamos que tenha gostado. Aproveite e veja também:

🌎  Acompanhe nossa viagem de volta ao mundo através de nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/casalwanderlustoficial

7 Comentários

  1. Oi, casal! Tudo bem? Sou a Aline, do blog O Tour Nosso de Cada Dia. Estou pesquisando sobre o Marrocos e adorei demais as dicas de vocês. Pretendo me deslocar de transporte público e curti o post porque vocês fizeram o mesmo =)

    Ainda não montei roteiro, mas terei poucos dias. Pensei em sair de Barcelona para Chefchaouen , chegando pela manhã, com intuito de só conhecer a Medina, com seus cantinhos azuis. Depois ir para Fès no dia seguinte.

    Vocês acham que um dia inteiro em Chefchaouen consigo passear pela Medina? Ah, qual dica de hotel vocês recomendam?

    Abs,

    Aline

    • Oi Alineeee! Tudo bem? 🙂
      Que legal! Nós AMAMOS o Marrocos!
      Utilizar transporte público por lá é bem tranquilo – sempre negocie os preços dos táxis – aliás, negocie tudo, sempre…rs.
      Um dia inteiro dá para você percorrer a Medina e os labirintos azuis de Chefchaouen tranquilamente. Dois dias seria o ideal, mas sei que as vezes é corrido e não dá. Então fica sussa! Em um dia você desvenda a Medina de cabo a rabo e ainda bebe um chá na pracinha.
      Em Fès nós amamos o Riad Mikou, foi o melhor café da manhã das nossas vidas, sério! Sem contar que o pessoal lá é muito solícito. Em Chefchaouen nós ficamos em um Aibnb. Vou procurar o contato para te passar!
      Bjão!
      Aproveite!!!

  2. Que bom receber uma resposta de vocês:) Eu estou com todos os posts de vocês abertos desde que comecei a planejar a viagem hahaha. Meu roteiro tá meio apertado porque só temos poucos dias de férias. Eu queria tudo Marrocos, mas a viagem é pra comemorar meu niver + niver de casamento, aí tem que agradar maridão que quer ir pr Espanha com foco em futebol rs.

    Ainda não compramos as passagens, porque estou resolvendo o roteiro, mas o desejado é isso abaixo:

    28/08 – Chegada em Madri 6h15. Fazer ônibus turístico

    29/08 – Madri – visitar os dois estádios

    30/08 – Madri – Barcelona – chegando no voo de 9h15. Passearpelos pontos principais

    31/08 – Barcelona – estádio e amsi alguma coisa que tiver pra ver

    01/09 – Barcelona – Chefchaouen voo de 06h50. Passar dia por lá conheendo apenas a medina.

    02/09 – Chefchaouen – Fès (6h de viagem). Ir no primeiro horário.

    03/09 – Fés

    04/09 – Fès – Deserto ( se for com a Morroco Excursions)

    05/09 – Deserto

    06/09 – Deserto – Marrakesh (volta dia todo)

    07/09 – Marrakesh

    08/09 – Marrakesh

    09/09 – Marrakesh – Madri

    10/09 Madri Rio

    Vou numerar minhas dúvidas, pode ser? 🙂

    1- Eu vi qu vocês usaram ônibus da Nejme de Chefchaouen para Fès e queria saber se compraram lá na hora ou antes. Não consegui achar informações no site e o da CTM tem trechos que não consigo ver também.

    2 – Ainda não sei se vou fechar com a Morroco Excursions, pois estou pesquisando outras empresas. Por enquanto, esta parece o melhor preco. Mandei e-mail pra eles perguntando quais nome do hotel e camp. Vocês ficaram em quais?

    3 – Caso eu não vá para o deserto com eles partindo de Fès, vi que vocês foram para Marrakesh de trem. Queria saber se é traquilo comprar lá na estação ou se compraram antes.

    4 – No trajeto para o dserto, o motorista quando para dá explicação, como se fosse um guia? Uma leitora minha fez esse passeio com uma empresa, que não lembro o nome agora, e disse que o motorista só parava para fotos e nem dava aquela explicação. Não que eu queira um guia, mas é legal saber de algumas coisas assim, né?

    Descuuuuulpa o textão e desde já obrigada pela ajuda! Como nós não dirijimos, o post de vocês está ajudando a bessa.

    Bjs,

    Aline

    • Sem problemas. Vamos lá:
      1) compramos na hora. Fomos a pé até o local de onde saem os ônibus, chegamos 30 minutos antes e compramos. Tem duas empresas que fazem o mesmo trajeto: a Nejme e a CTM. No site da CTM vc pode até comprar os bilhetes online. Dá uma olhadinha: http://www.ctm.ma/.
      2) Nós nos hospedamos na região de Ait Ben Ali, o hotel era o Kasbah Auberge Tifawen (tem o link para o booking no post do tour pelo deserto, mas se vc jogar no Google vc encontra tb). O acampamento beduíno eu não sei dizer o nome, se é que tem um nome…rs. Acredito que os diferentes tours tem parceria com diferentes acampamentos. Mas no geral devem ser todos bem parecidos.
      3) Pelo que nós vimos depois, dá para fazer o passeio com eles saindo de Fez e terminando em Marraquexe ou vice-versa. Vale a pena checar com eles antes de fechar pois assim vc economiza no transporte entre as cidades de início e término do tour. Mas caso resolva ir de trem, nós compramos na hora tb. Basta chegar uns 40 minutos antes na estação (por precaução).
      4) Ahhhh, tivemos o mesmo problema. Ele só parava para fotos e parecia que tinha até preguiça de explicar. Neste caso sugiro que vc converse bem com a agência com quem fechar o tour. Nós ficávamos perguntando pra ele sobre as informações, ele mesmo não falava muito não. Me dava até raiva…hahaha

      Estou à disposição, viu?

      Bjo

  3. Super obrigada pela resposta! Adorei! Meu roteiro reduziu um dia e eu pretendo chegar a Chaouen até umas 15h e vou dormir lá. Tenho looucura por azul e será meu aniversário no dia kkkk. Aí dia seguinte passo o dia por lá e vou para Fès no ônibus de 19h. Acho que para cnhecer os caminhos bonitninhos todos em azul consigo curtir bem, né?

  4. 😀 suuuuuper obrigada por toda ajuda!!!
    Post de vcs foi primeiro que li e me situou demais!

    Vamos comemorar 3 anos de casados também, nesse dia no deserto! Animados demais! *_*

    Bjos e aproveitem a volta ao mundo! Tô seguindo vcs no Insta!