Um casal em uma viagem de volta ao mundo!

O que fazer em Rabat, a capital do Marrocos

Uma das 4 cidades imperiais do Marrocos e atual capital do país, Rabat é um exemplo clássico do mix de influências árabe, muçulmana e ocidental na região.

Estivemos por lá em nossa viagem de volta ao mundo e colocamos neste post as principais atrações da cidade, incluindo dicas de como chegar lá. Segue com a gente! E se você estiver bem disposto, como nós estávamos, saiba que dá pra visitar todos estes pontos a pé 😃

⚠️ Post atualizado em abril de 2019.

Lighthouse Rabat

Rabat Lighthouse

O que fazer em Rabat

Nós passamos um dia inteiro em Rabat e achamos que foi tempo suficiente para ter um gostinho da cidade. Veja neste post as principais atrações da cidade.

Torre Hassan

A Torre Hassan é o minarete (a torre de uma mesquita) da inacabada Mesquita Hassan, que teve sua construção iniciada no século XII. A pretensão do então califa Abu Yusuf era que a mesquita fosse a maior do mundo, mas sua construção foi interrompida quando da morte do mesmo em 1199.

Nós visitamos Rabat em um dia ensolarado e com céu azul. Eu achei a cidade super fofa e mega fotogênica.

O minarete e as mais de 200 colunas que ficaram como prova do que seria sua grandiosidade.

Torre Hassan em Rabat

Torre Hassan.

Mausoléu Mohammed V

O Mausoléu de Mohammed V é onde jaz o rei Mohammed V do Marrocos, considerado o pai da independência do país. No mesmo mausoléu também descansam seus dois filhos, o rei Hassan II e de Boulay Abdallah.

A obra foi finalizada em 1971 e construída na extremidade do mesmo recinto onde se encontra a inacabada Mesquita Hassan, do lado oposto de sua torre. Ou seja, você poderá visitar a Torre Hassan e o Mausoléu Mohammed V no mesmo lugar. Olha que maravilha!?

Entrada para o Mausoléu Mohammed V e também a Torre Hassan

O mausoléu, feito com mármore italiano, impressiona por sua beleza. Seu interior é revestido por mosaicos que deixariam até mesmo os artesãos que construíram o Gran Palace, na Tailândia, com inveja. Olha:

Detalhes de um dos mosaicos no interior do Mausoléu.

Mausoléu de Mohammed V em Rabat

Mausoléu Mohammed V.

O conjunto, Torre Hassan e Mausoléu Mohammed V, formam uma das principais atrações turísticas de Rabat. E esta dupla é parada mais que obrigatória para quem visita a cidade.

Detalhes do exterior do Mausoléu Mohammed V.

Detalhes do interior do Mausoléu Mohammed V.

Mais detalhes

Casbá dos Udaias ou Kasbah des Oudaias

Um Casbá (ou Kasbah) nada mais é do que um espaço fortificado, com muralhas altas e torres em seus cantos. Normalmente são construções quadradas encontradas com muita facilidade por todo o Marrocos.

Sua estrutura construída com tijolos de adobe e paredes que muitas vezes passam os 2 metros de largura, fazem com que um Casbá possa permanecer em pé durante séculos!

O Casbá dos Udaias visto do lado de fora.

Utilizados para proteção contra invasões, ataques e até mesmo contra tempestades de areia, alguns Casbás podem ser do tamanho de uma casa, palácio ou do tamanho de uma pequena vila, englobando várias casas, como é o caso do Kasbah des Oudaias.

Dia a dia no Casbá dos Udaias.

Rabat

Quem aqui também ama gatinhos?

Com ruas estreitas e casas pintadas de branco e azul, é um convite para passar alguns bons momentos simplesmente perambulando por lá. Ali você ainda encontrará um Mirante com uma vista espetacular para o Oceano Atlântico e o Jardim de Andalusia. Além da Mesquita Kasbah, a mais antiga da cidade.

Mesquita Kasbah.

O próprio portal principal, o Bab Oudaïas, já é merecedor de alguns minutos de sua admiração.

Mirante do Casbá

Dentro do Casbá há um Mirante que oferece esta bela vista, conforme foto abaixo.

Embora muitas pessoas ofereçam, não é necessário um guia para chegar até o mirante. O mesmo se encontra ao final da Rua Jamaa quando se entra pelo Bab Oudaias.

Vista do Mirante do Casbá dos Udaias.

A Medina de Rabat

Uma Medina é um aglomerado urbano organizado dentro de muralhas, e normalmente são a parte antiga das cidades árabes. As Medinas são famosas por seu emaranhado de ruas estreitas, que mais parecem um labirinto, e uma infinidade de comércios vendendo de tudo. E é claro que a Medina de Rabat não ficaria longe desta definição.

Ruas da Medina em Rabat

Medina de Rabat.

Ali você pode facilmente se perder por horas, andando pelas ruazinhas, vendo as diversas mercadorias que são vendidas que vão desde especiarias até cabeças de bode:

Cabeças de bode sendo vendidas na Medina de Rabat.

Ou você pode simplesmente se sentar em um dos vários pequenos restaurantes na região da Medina e comer um tradicional tajine ou cuscuz marroquino, pratos típicos do Marrocos, enquanto observa o movimento das pessoas.

Em Rabat ainda há a vantagem da Medina ser mais tranquila que as das grandes cidades como Fez e Marrakech. Isso permite uma experiência mais agradável ao andar por lá.

➡️  Veja também: Marrocos: informações práticas para sua viagem!

Chellah

Chellah é como é chamado o sítio arqueológico onde se encontram as ruínas da cidade romana de Sala Colonia e uma necrópole murada merínida, dinastia berbere, próximo ao que hoje é Rabat. Na verdade, este é o assentamento humano mais antigo que se tem conhecimento nas proximidades da cidade.

Juntamente com Morador, atual Essassouira, Sala Colonia era um dos principais portos romanos na região. Servia de entreposto para os navios que iam e vinham das Ilhas Canárias.

A área passou a ser utilizada como necrópole após a ocupação berbere no século III. E ainda hoje é possível ver a muralha, com seu belo portão de acesso, um miranete, algumas colunas de mármore, entre outras ruínas.

Como chegar

Nós fizemos um day trip partindo de Casablanca até Rabat, de trem. O serviço de trem no Marrocos é muito prático e confiável. O trajeto durou aproximadamente 1 hora.

Saímos da estação Casa Voyager em Casablanca até a estação Rabat Ville, que fica no centro de Rabat. O bilhete custou MAD 37,00 ou USD 4,00 por trajeto.

Para saber mais sobre outras rotas de trem para Rabat de outras cidades, clique aqui. É possível chegar lá de ônibus também, veja mais clicando aqui.

Telefonia e Internet

Assim que chegamos no Marrocos, já no aeroporto, nós ganhamos um chip da operadora Orange.  Colocamos USD 20,00 de crédito e utilizamos dados e telefonia por 12 dias.

Chip da operadora Orange, no Marrocos

Moeda do Marrocos

A moeda do Marrocos é o Dirham Marroquino.

Em abril de 2019 a cotação do Dirham Marroquino era de 1,00 USD = 9,60 MAD.

Preço da Cerveja no Marrocos

Em um país de maioria muçulmana (muçulmanos não bebem), nós não esperávamos encontrar cerveja. Aliás, já tínhamos nos conformado em passar nossos dias no Marrocos bebendo “uísque beber”, como eles chamam o chá de hortelã marroquino que é muito consumido por todo o país.

Porém, encontramos cerveja sendo vendida em diversos restaurantes e até em supermercados locais. Os valores médios ficavam na casa dos USD 2,50. Sendo que a cerveja mais famosa por lá é a Casablanca.

Cervejas que compramos no Marrocos

Meios de Locomoção

Com exceção do tour de 3 dias que fizemos até o Deserto do Saara, no restante da viagem nós viajamos de ônibus e de trem, sendo este último o meio de transporte mais utilizado por nós.

Viajar de ônibus ou de trem pelo Marrocos é muito seguro e tranquilo. A CTM é a maior empresa de ônibus do país, fazendo o trajeto entre praticamente todas as cidades. Os ônibus são novos e muito confortáveis. Você pode comprar o bilhete pela internet ou em uma de suas agências.

E a empresa que faz o transporte ferroviário é a ONCF. Os trens são pontuais, limpos, confortáveis e uma mão na roda para aqueles que, como nós, gostam de viajar de maneira independente e mais econômica.

Nós compramos a maioria dos bilhetes na hora ou poucas horas antes da viagem.

o marrocos

Foto de um dos vagões do trem que liga o aeroporto de Casablanca ao centro da cidade

Visto para o Marrocos

Brasileiros não precisam de visto para visitar o Marrocos. Uma autorização de permanência de 90 dias é concedida na chegada ao país, sem maiores complicações. Bastará preencher um documento fornecido pelas autoridades. Se vier de avião o formulário será entregue pelo pessoal da companhia aérea ainda dentro da aeronave.

Comida Típica do Marrocos

Não há como falar sobre comida marroquina sem falar do cuscuz e do tajine. O cuscuz já era nosso conhecido, tanto em Minas como em Salvador já crescemos acostumados a comer cuscuz (embora o preparo seja bastante diferente nesses dois Estados). O cuscuz marroquino é bom, inclui legumes em seu preparo, mas não achamos muita graça.

Já o tajine nós adoramos! Os tajines são uma espécie de cozidos de legumes, que podem incluir carne ou não, e são feitos em uma vasilha específica de barro (que por sua vez também é chamada de tajine). Os sabores são muitos distintos. Alguns são muito apimentados, outros levam ameixas em seu preparo e comemos um que tinha muito coentro.

A culinária marroquina é rica no uso de especiarias. E se eu pudesse destacar um “defeito” do Marrocos meu voto seria esse: o coentro. Como eu não gosto eu acabei sofrendo um pouco, mas se você gosta, o Marrocos é o seu lugar! Veja mais sobre a culinária marroquina clicando aqui.

Tajine que comemos em um restaurante dentro de um mercado em Casablanca.

Roupas e comportamento

O Marrocos é considerado um país “muçulmano moderado”. Mas o que isso significa?

Quer dizer que apesar de ser um país onde a maior parte da população é muçulmana e segue os costumes e regras do Islã, no geral as pessoas no Marrocos são relativamente livres no que se refere aos costumes e dogmas. E que pouco se importam com o que as outras pessoas vestem, fazem ou pensam. Mas por outro lado, é um país bastante machista.

Loja de roupas na Medina de Fez, no Marrocos

Loja de roupas femininas na Medina de Fez

As mulheres não precisam usar o véu para sair às ruas (como as muçulmanas costumam fazer) mas mostrar demais o corpo é sinal de desrespeito com a cultura local. Contato íntimo entre os casais em público (amassos e beijos “calientes”) são também considerados falta de respeito. Cumprimentar as pessoas e comer com a mão esquerda também é desrespeitoso, visto que a mão esquerda é vista como suja. Mulheres fumando também não são bem vistas pelos locais.

Como vivemos em um país mais liberal, se é que assim podemos dizer, alguns costumes de países mais conservadores podem nos soar um tanto estranhos. Mas temos sempre que nos lembrar que visitar um país é como visitar a casa de um amigo. Quem estabelece as regras é o anfitrião e nossa obrigação é fazer da visita o mais agradável possível para ambos. Certo?

Em Marrakech nós vimos muitas mulheres com saias e shorts mais curtos. Você até pode usar mas vai atrair atenção desnecessária, além se soar como falta de respeito, na minha opinião. Então, se puder, abuse de saias e vestidos longos no calor.

Idioma

O árabe é a língua oficial do Marrocos. Mas também são falados os idiomas Berber, Francês e Espanhol, em algumas regiões.

Porém, você consegue se virar falando somente Inglês. E o Espanhol é bastante utilizado no norte, devido à proximidade com a Espanha pelo Estreito de Gibraltar e o grande volume de turistas espanhóis. Ou seja, até um “portunhol” pode ser que ajude a comunicação nesta região.

E aí? Gostou de saber um pouco mais sobre as atrações de Rabat? Aproveita para ver o que mais o Marrocos tem para oferecer:

🌎  Acompanhe nossa viagem de volta ao mundo através de nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/casalwanderlustoficial

Deixe uma resposta