Casal Wanderlust

Roteiro de 7 dias em Zanzibar, na Tanzânia

Nós acabamos não tendo muita sorte com o tempo em Zanzibar, mas ainda assim foi um dos litorais mais lindos que já vimos até agora. 

Conseguimos nos manter em nossa média de gastos e escrevemos esse post contando o que fizemos nesses 7 dias que passamos na terra do cantor Freddie Mercury. Vem ver que legal 😃

Zanzibar

Dia 1 – Stone Town

Chegamos em Dar Es Salam às 4h da manhã vindos de uma viagem de 60 horas no Tanzam Train (Tazara). Um funcionário da estação de trem nos ajudou a encontrar um táxi e nós seguimos direto até o local de onde partem os ferries para Zanzibar. A corrida de táxi custou TZS 20.000,00 ou USD 9,00.

Tivemos certa tensão na hora da compra dos tickets. A atendente do guichê se recusou a nos voltar o troco em dólares americanos e estava utilizando uma taxa de conversão muito ruim para nos dar o troco na moeda local, o xelim. Acabamos comprando nosso ticket com um operador menor, mas para o mesmo ferry, no mesmo horário.

Stone Town

Há o escritório oficial da empresa que opera o ferry e também esses pequenos guichês, que ficam do lado esquerdo do portão de embarque. A princípio tivemos até certo receio em comprar com eles (medo de nos venderem tickets falsos) mas não tivemos problema algum. E a melhor parte é que nos voltaram o troco em dólares e não perdemos dinheiro na conversão.

Quanto Custa

Compramos tickets para a classe econômica com a empresa Kilimanjaro Fast Ferries e pagamos USD 35,00 por pessoa. Mesmo a classe econômica é bem bacana, com ar condicionado e tudo mais. Só que não tem lugares marcados e o embarque é meio tumultuado. A travessia dura cerca de 2 horas. 

Obs.: para quem quiser economizar uma graninha, existem ferries mais lentos que partem todo dia ao meio-dia e também à noite. Os tickets para estas embarcações custam USD 25,00.

Sol se pondo em Stone Town

Assim que desembarcamos fomos deixar nossas mochilas no Airbnb que tínhamos alugado, próximo ao restaurante chamado Zenji. Acabamos almoçando por ali mas achamos os valores bastante altos para os nossos padrões e não tinha nada de diferente dos pratos que já havíamos comido pela metade do preço em outros lugares. O Lázaro comeu um arroz com frango e eu um arroz com lula, pagamos TZS 17.000,00 ou USD 7,50 cada um.

Saímos para explorar Stone Town. Passamos pela casa onde Freddie Mercury morou, pelo mercado de rua Darajane, nos perdemos pelas ruelinhas, tiramos dezenas de fotos e finalizamos o dia no mercado de comida que acontece todo fim de tarde na praça Forodhani.

Stone Town é uma cidade que parou no tempo. Seu ar medieval e o charme das belas e imponentes portas (sim, são belíssimas) fez com que nós nos apaixonássemos pela cidade. Sendo também Patrimônio Histórico da Humanidade.

Onde nos Hospedamos

Nos hospedamos em um Airbnb, que na verdade é um local que também recebe voluntários, chamado Tziva House. Pagamos USD 27,00 por um quarto com cama de casal, ventilador e banheiro com banho de balde 😬

Uma das muitas ruelinhas de Stone Town

Dia 2 – Michamvi

Acordamos de manhã e pegamos um “daladala” (como as minivans são chamadas aqui na Tanzânia e em Zanzibar) até Mwanakwerekwe. Todos os daladalas são numerados e nós pegamos o de número 510 até esse destino. Pagamos TZS 300,00 ou USD 0,13 pelo primeiro trajeto. Depois pegamos outro daladala, número 340, com direção a Michamvi, pagamos TZS 3.000,00 ou USD 1,30 pelo trajeto + TZS 2.000,00 ou USD 0,88 pelas mochilas (taxa somente para turistas).

Caminhamos poucos minutos até chegarmos em nosso hotel. Fomos direto para a praia e descobrimos que ao pagar uma taxa de USD 10,00 no Michamvi Resort você tem direito à todas as facilidades do local, tais como piscina, cadeira na praia, toalhas, internet e etc. E o melhor de tudo: esse valor pode ser consumido em itens do bar. Ficamos o dia todo aproveitando essa praia linda e nos fingindo de ricos…hahaha.

Michamvi – praia em frente ao Michamvi Resort

Como o valor do jantar no resort era muito alto para nossos padrões (USD 27,00 por pessoa), nós encontramos um restaurante local onde jantamos frango, batata e banana da terra frita por TZS 5.000,00 ou USD 2,20 por pessoa.

Onde nos Hospedamos

Nos hospedamos no Mnyasa Bungalows. Pagamos USD 28,00 por um quarto bem bacana com ventilador, cama de casal, banheiro e café da manhã.

Dia 3 – Pingwe

Caminhamos até a praia de Pingwe, onde fica o famoso restaurante The Rock. A caminhada durou por volta de 40m. Ficamos largados no Pandu Ngozi Restaurant, onde pagamos TZS 5.000,00 ou USD 2,20 pela cerveja Kilimanjaro gelada. Pena que o dia estava nublado. O Lázaro e o Diego (um brasileiro que viajou com a gente pela Tanzânia) jogaram futebol com uns meninos locais. Depois voltamos para o nosso hotel onde jantamos no mesmo restaurante. Pagamos TZS 7.300,00 ou USD 3,20 por um prato com 3 espetinhos de carne, batata e banana da terra frita.

Onde nos Hospedamos

Nos hospedamos no Mnyasa Bungalows.

Dia 4 – Paje

Pegamos um daladala até praia de Paje e ficamos por lá até às 16h. O local é cheio de escolas de Kite Surf, já que a região é propícia para a prática do esporte. Os valores são bem salgados, para nossos padrões. Chegamos  a ver preços de até USD 300,00 para algumas horas de aulas e prática de Kite.

Foi em Paje que vimos o mar mais azul e transparente aqui em Zanzibar, até agora. Mas o “problema” da parte leste da ilha é que em determinadas épocas do ano a maré fica bem baixa entre às 10h e ás 16h. Então, durante a maioria do dia dia o mar se recolhe, a faixa de areia fica imensa e a barreira de corais aparente. Para tomar banho de mar você precisa caminhar pela faixa de areia até se aproximar da água, lá longe. O que nem é um problema na verdade, isso só deixa o visual não tão bonito. Mas dizem que na parte norte da ilha esse movimento das marés não é tão intenso quanto aqui.

Paje Beach, em Zanzibar

O daladala de Michamvi até Paje custou TZS 500,00 ou USD 0,22 por pessoa. Na volta pegamos outro daladala que nos deixou no meio do caminho, devolveu nosso dinheiro e nos fez caminhar por uns 3 km até chegarmos no hotel. Ótimo! Funcionou como uma carona 😊

A noite nos despedimos do Diego, que seguiu viagem sozinho para o Quênia.

Onde nos Hospedamos

Nos hospedamos novamente no Mnyasa Bungalows.

Dia 5 – Kizimkazi

Pegamos o daladala de número 340 até Kitogani, a corrida custou TZS 1.500,00 ou USD 0,66 e depois o pegamos o 326 até Kizimkazi, pagamos TZS 1.000.00 ou USD 0,44 por pessoa.

Kizimkazi é uma vila de pescadores de onde partem alguns passeios. Não encontramos tantos turistas por aqui. A praia que fica perto do hotel tem uma faixa de areia curta. É cheia de barcos de pescadores e outros barcos que fazem os tours. Pesquisamos os preços dos passeios que gostaríamos de fazer e ficamos largados na praia, sem fazer nada de mais.

Obs.: Kizimkazi é bacana para quem quiser contratar os passeios diretamente na origem por valores mais atrativos. Mas o local em si não oferece muitas atrações.

Kizimkazi

Onde nos Hospedamos

Nos hospedamos no Cave Man Lodge, pagamos USD 30,00 por um quarto bem bacana. Sem contar que o dono, o Omar, é super gente boa!

Dia 6 – Jambiani

Tínhamos planejado passar o dia em Jambiani, uma das praias mais bonitas da ilha. Porém, como nossa vontade nem sempre é a mesma da natureza… Neste dia choveu aqui na ilha tudo o que não havia chovido em anos! Uma tempestade torrencial nos impediu de fazer qualquer coisa.

Mas o lado positivo é que passamos um tempo com os pescadores (que também tiveram seus planos alterados graças a chuva) em um boteco, em frente a uma TV de tubo de 14 polegadas, assistindo a uma novela mexicana com narração simultânea – leia bem: NARRAÇÃO e não dublagem. Foi muito engraçado.

Jambiani em dias de sol. Foto: http://discoverzanzibar.org/

Pela ilha toda nós encontramos comércios locais onde os moradores vendem, dentro de uma vitrine de vidro, frango, peixe e batata frita. A comida fica ali, prontinha, dentro do mostruário. Almoçamos postas enormes de atum e batata frita por TZS 3.000,00 ou USD 1,30 por pessoa.

Onde nos Hospedamos

Nos hospedamos novamente no Cave Man Lodge e dormimos na esperança de dias melhores. Mas a previsão indicava chuva novamente…

Dia 7 – Passeios e despedida de Zanzibar

Em toda a ilha, especialmente aqui em Kizimkazi, os moradores oferecem passeios para ver golfinhos em alto mar, fazer snorkeling, passeios de barco pelo mangue da região e/ou ir de barco até um banco de areia no meio do mar azul e fazer um almoço com frutos do mar grelhados.

Os preços variam muito. Vimos valores desde USD 70,00 por pessoa somente para o passeio com almoço nos bancos de areia, até USD 30,00 por pessoa somente para ver os golfinhos.

O melhor valor que conseguimos negociar foi USD 50,00 por pessoa para fazer tudo: ver golfinhos, fazer snorkeling, passear pelo mangue , incluindo um almoço caprichado 😋

Mas não teve jeito: toda a chuva prevista para o ano despencou nesses dias. Novamente ficamos ilhados.

Se o tempo tivesse colaborado nós teríamos feito o passeio para ver golfinhos + mangue + snorkeling + almoço na ilha. Mas vamos ter de voltar à Zanzibar um dia para isso.

Seguimos para Stone Town e deixamos a ilha no dia seguinte de manhã. De lá fomos para a melhor experiência que tivemos até agora na viagem: conhecemos uma autêntica Tribo Massai.

➡️  Veja aqui o relato completo.

Um dos nossos dias de sorte em Zanzibar, com sol

Custos

Nossos custos totais nesses 7 dias em Zanzibar foram de USD 453,00, ou seja USD 32,36 por dia, por pessoa. Neste valor está incluído o ticket do ferry de ida e volta para a ilha, todos os custos com alimentação, hospedagem e cervejas.

Obs.: vale lembrar que devido ao mau tempo acabamos não fazendo os passeios. Isso teria acrescentado USD 100,00 no valor final.

Esperamos que tenha gostado. Aproveite e leia também:

🌎  Acompanhe nossa viagem de volta ao mundo através de nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/casalwanderlustoficial

2 comentários sobre “Roteiro de 7 dias em Zanzibar, na Tanzânia

  1. Quero Mochilar

    kkkkk adorei a expectativa!!! Já estive em lugares assim também….rs É frustrante!! Mas pense, você viu um lugar perfeito de um jeito feio! é raro isso…rs.

Deixe uma resposta