Casal Wanderlust

Ainda existe MUITO amor nesse mundo!

Esse é um post para falar de amor, gentileza e gratidão. Sobre os amigos que temos feito pelo caminho, sobre as pessoas que, gratuitamente, tem nos ajudado. E também para mostrar que ainda existe muito amor nesse mundo ❤️

E para começar alegrando o seu dia, seguem esses dois sorrisos lindos daqui da Tanzânia

No dia 18 de junho de 2017 nós iniciamos uma viagem sem data certa para terminar, e isso nos deixou um tanto apreensivos no início. Como iríamos nos locomover, onde iríamos nos hospedar, etc… Essas são perguntas fáceis de se responder quando se está viajando pela Europa, certo? Mas nós não. Nós estamos viajando pelo continente africano. Onde o meio de transporte às vezes é um pouco complicado, onde a língua muitas vezes se torna uma barreira, e isso tudo sem falar nos perigos plantados em nossas mentes por um mídia não muito realista e bastante tendenciosa.

Mas assim que chegamos em Joanesburgo, nosso primeiro destino por essas bandas, nós já percebemos que tudo seria mais fácil do que nós havíamos imaginado.

Fomos recebidos com esse pôr do sol em Joanesburgo

Amor, Gentileza e Amigos pelo Mundo

Resolvi escrever esse post, em primeiro lugar, como uma forma de agradecimento a todos os amigos que fizemos pelo caminho até agora e também para mostrar que ainda existe amor, gentileza e cuidado com o próximo nesse mundo. Em dias de tantas notícias ruins, tragédias e desesperança, resolvi registrar minha gratidão como uma maneira de mostrar que ainda há esperança de dias melhores.

A cada pequena cidade por onde passamos, a cada trecho que percorremos, a cada nova pessoa que cruza o nosso caminho, a verdade é uma só: amor e gentileza ainda existem! E em abundância algumas vezes.

Mesmo nesse ambiente tão inóspito onde cada ser humano está lutando uma batalha diferente, nós ainda encontramos muita gente boa e com o coração cheio de amor. Veja só:

Amigos em Joanesburgo, na África do Sul

Nosso primeiro destino foi Joanesburgo, na África do Sul. E nós ficamos hospedados na casa do Farid, um professor universitário.

O Farid morava com dois amigos, o Alex e o Kim, todos muçulmanos. Nós estivemos na casa deles no meio do Ramadã, um período sagrado para os muçulmanos. Onde eles se abstém de alimentação depois que o sol nasce e só voltam a comer quando este se põe.

Todos os dias o Farid fazia questão de nos convidar para seu momento mais especial do dia, a quebra do jejum. Além de nos hospedar de graça ele ainda nos oferecia refeições. Jantamos juntos quase todo dia. E muito além dos jantares, esses encontros eram recheados de boa conversa e muita risada.

O Farid e o Alex (ambos com o fez ou tarbush na cabeça), o Kim e mais dois amigos que foram jantar com a gente

Amigos em Maseru, no Lesoto

No Lesoto nós nos hospedamos na casa de uma família das Filipinas e o nosso anfitrião foi o Ninyo. Nós chegamos bem no dia do aniversário de sua mãe. Fomos convidados para a festa e fomos recebidos com muita alegria e comilança, do jeitinho que a gente gosta 😋

Durante todos os dias que se seguiram a família sempre nos convidava para jantar com eles. Mas como já estávamos hospedados de graça, nós achávamos que jantar de graça seria demais da conta, por isso sempre recusávamos. Até que descobrimos que eles já estavam chateados com nossas negativas constantes.

Veja que vergonha: nós negávamos o convite para o jantar por “medo de atrapalhar” e eles ficavam tristes com isso. Acho que nossas negativas soavam até como falta de educação. Quando nós nos demos conta de tamanha deselegância, imediatamente tratamos de aceitar o convite. Tanto que em nosso último dia nós jantamos, bebemos cerveja e ficamos até tarde cantando no karaokê. Foi uma super festa!

E foi também em Maseru que nós conhecemos o Clement. Na verdade nós viajamos o tempo todo com ele no ônibus de Durban até Bloemfontein e depois na minivan até Maseru. Mas foi na fronteira que nós puxamos assunto e nos tornamos amigos.

O Clement nos acompanhou durante todos os dias em que estivemos em Maseru. Nos levou para conhecer a escola onde ele estudou, nos apresentou os lugares mais bacanas da cidade e ainda nos mostrou onde comprar as comidinhas de rua mais baratas e deliciosas do Lesoto.

O Clement do lado esquerdo da foto. O do meio era o taxista que conhecemos por lá também

Amigos em Botha-Bothe, no Lesoto

Nós sempre tentamos economizar dinheiro em nossa viagem, e foi assim que conhecemos esse sapateiro em Botha-Bothe. Além de consertar a bota do Lázaro, ele ainda deixou seu posto de trabalho e saiu com a gente atrás de uma acomodação barata. Infelizmente nós não anotamos e acabamos esquecendo o nome dele 😞

 

Amigos em Port Elizabeth, na África do Sul

Em Port Elizabeth nós nos hospedamos na casa do Greg. Uma das pessoas mais gentis que conhecemos até agora.

Assim que chegamos ele já tratou de nos apresentar à seus amigos, nos levou para jantar e nos mostrou muito do que a cidade tinha a oferecer. Em nosso último dia nós fizemos um jantar em retribuição e ficamos até altas horas bebendo e jogando conversa fora.

A foto não é das melhores, mas capturou muita alegria e amor, e é isso que importa!

Amigos em Durban, na África do Sul

E foi em Durban que nós conhecemos esse maluco do Luc. Um maluco beleza no melhor dos sentidos. Ele dormiu no sofá para nos ceder sua cama (coisa que eu, no Brasil, recearia muito em fazer), pelo simples prazer de receber dois viajantes em sua casa. Hoje o Luc também está viajando pelo mundo.

Não é uma figura!?

Amigos em Cape Town

E foi em Cape Town que nós conhecemos o Nicolaas, ou Nic. Uma pessoa incrível que além de nos hospedar em sua casa ainda nos levou para conhecer a cidade. Ele nos levou para lugares onde seria difícil de chegar utilizando transporte público, nosso meio de transporte nesta viagem.

E foi na companhia do Nic que eu tomei o meu maior porre da viagem…hahaha. Ele nos levou para fazer degustação de vinho nas vinícolas, eu bebi demais, cantei alto, dei vexame e quase acabei com um pedido de casamento que estava acontecendo em um dos locais que visitamos – coisa de bêbado 😜

Mas cachaças à parte, tanto o Nic quanto seus colegas de apartamento foram uns queridos com a gente. Foi a hospedagem mais divertida até agora!

Uma foto no início da bebedeira…rs

E um dia, no ônibus, nós nos olhamos com aquela certeza de que já nos conhecíamos. Só que não… Esse é o Welton, um brasileiro gente boníssima, de Vitória/ES. Depois desse encontro no ônibus nós fizemos muita coisa juntos, passeamos, almoçamos e até tomamos uma “carcada” monstro da polícia, que nos rendeu um grande susto 😳

Dividimos muitos dos nossos sonhos, nossos medos e nos tornamos grandes amigos. O Well está viajando pelo mundo sozinho e nós juramos que ainda vamos visitá-lo em Vitória. Ou em algum outro lugar, quem sabe. Né?

A gente e o Well a caminho de Hermanus

E em nosso último dia em Cape Town nós tivemos uma grande surpresa. Fomos convidados por essa família LINDA para irmos até o West Coast National Park.

O West Coast era um dos únicos lugares de Cape Town que nós não teríamos conhecido, pois teríamos de ir de carro. Mas graças à Viviana, ao Celso e a fofa da Helena nós passamos um dia lindo por lá.

A Viviana, o Celso e a lindeza da Helena

Amigos em Botswana

E nós pensamos que passaríamos o aniversário do Lázaro em branco neste ano. Afinal estávamos na cidade de Maun, em Botswana, hospedados em um hotel um pouco afastado da cidade.

Foi então que, de repente, ouvimos alguém bater na porta do nosso quarto e quando a abrimos, eis que o pessoal do hotel entra no quarto cantando “parabéns pra você” e carregando um bolo delicioso de chocolate.

Comemos o bolo juntos, conversamos um pouco e reforçamos a nossa certeza de que Deus sempre cuida de seus filhos, onde quer que eles estejam ❤️

Nossos amigos do hotel e o bolo de aniversário do Lázaro

Amigos em Windhoek, na Namíbia

Ahhhh, a Namíbia! Como nós estávamos ansiosos por esse país. Especialmente porque seria lá que nós teríamos nossa primeira experiência com o Workaway.

➡️  Se quiser veja aqui o relato completo que fizemos sobre nosso trabalho na Namíbia através do Workaway.

Foi em Windhoek que nós conhecemos o Marco, a Samantha e as duas crianças mais fofas desse mundo: a Danielle e a Melissa.

O Marco, Samantha, Danielle e a Melissa, no colo

Foram 15 dias intensos cuidando e brincando com essas duas garotinhas. E os pais… que seres humanos mais incríveis e iluminados! Além de nos hospedarem ainda tiveram um cuidado super especial para nos ajudar com a nossa viagem. Nos auxiliaram com o nosso roteiro, ajudaram a alugar o carro da maneira mais barata possível e mais, ainda nos emprestaram TODO o material necessário que precisaríamos para acampar. Fala se não é gentileza demais para uma família só!?

Todos nós choramos na hora da despedida e juramos que um dia ainda nos veremos de novo.

E em Sossusvlei nós conhecemos o Rafa, esse brasileiro de 20 e poucos anos que resolveu dar um tempo em sua vida no Brasil para viajar pela África fazendo voluntariado. Ele já trabalhou como professor no Malawi, já ajudou a construir uma escola no Zimbábue e quando o conhecemos ele estava a caminho de Gana, onde trabalharia em outro projeto.

Nós, o Uva, o Rafa e o livro do Guilherme Canever que tem viajado com a gente

E como nós comentamos nesse outro post, nosso carro super aqueceu no Etosha, no meio do safári, e todos que passaram por nós se ofereceram para nos ajudar, sem exceção. Todos que passaram pelo nosso carro quebrado também interromperam seus safáris para nos dar um help na hora do aperto.

E teve também o senhor que nos ajudou a trocar o pneu que estourou, os meninos que nos ajudaram a desatolar o carro quando caímos em um buraco, etc… 😂

Amigos na Tanzânia

E foi na terra do Freddie Mercury, em Zanzibar, que conhecemos o Simon, da tribo Masai. Ele nos convidou para conhecer a sua vila e sua família. Passamos dois dias com a família do Simon, dormirmos na casa dele, fomos recebidos com um churrasco.

Os Masai vivem praticamente do comércio de cabras e vacas. Então imagine que honra que foi quando soubemos que a família havia matado uma de suas cabras para nos oferecer!?  Depois descobrimos que o Simon não tinha fotos com sua família. Foi então que resolvemos fazer uma sessão de fotos com eles. Todos se arrumaram e foi um dia muito especial, principalmente para nós! A experiência foi tão rica e maravilhosa que fizemos um post especial. Clique aqui para ver mais.

amor vila masai

A família do Simon em sua Vila Masai, perto de Handeni, na Tanzânia

E foi também na Tanzânia, através de um grupo de whatsApp que nós conhecemos o Diego. Um brasileiro de Curitiba, nascido no Acre, gente boníssima! Assim como nós o Diego também gosta de explorar lugares não tão tradicionais nas rotas turísticas, gosta de viajar de maneira independente e nos deu diversas dicas sobre o Marrocos, país de onde escrevo esse post.

Também combinamos com o Diego de voltarmos a nos encontrar na estrada, um dia.

E isso tudo sem contar as inúmeras pessoas no dia a dia, as quais não fotografamos mas que deixaram nosso dia repleto de alegria através de sua generosidade, carinho e amor.

Outros exemplos

Teve também uma moça que trabalhava em um centro de informações turísticas em Durban. Nós estivemos lá para solicitar informações sobre o que fazer na cidade, acabamos conversamos por alguns minutos e saímos para pegar o ônibus. De repente o motorista parou o ônibus bruscamente e todos nós pudemos ver uma moça correndo, desesperada. Era ela, a moça do centro de turismo. Ela estava correndo atrás do nosso ônibus porque nós tínhamos esquecido um celular na mesa dela e ela queria nos devolver.

É claro que nem tudo são flores. Muitas vezes tentaram cobrar mais caro de nós simplesmente pelo fato de sermos turistas. Caímos em um golpe que nos custou USD 40,00 quando trocamos dinheiro na rua em Botswana, enfim. Mas quando colocamos as experiências boas e ruins na balança, as boas ainda estão em maior número.

E o que as pessoas ganharam nos ajudando?

Imediatamente? Nada! Ganharam apenas a amizade de dois estranhos, dois viajantes que querem conhecer o mundo sem gastar uma fortuna, duas pessoas que sempre serão gratas por toda a ajuda, amor e carinho que já recebeu nessa jornada.

Mas nós acreditamos que a gentileza é cíclica, ou seja, quanto mais você oferece mais você recebe. Essas pessoas ainda irão receber muito em troca de todo esse amor, e nós seguimos tentando fazer nossa parte também. Mas o fato é que ainda temos recebido muito mais amor e gentilezas do que ofertamos. Nos sentimos abençoados mas também na obrigação de retribuir de alguma maneira.

Por enquanto o universo tem sido maravilhoso conosco. E nós só temos a agradecer.

Se quiser saber mais sobre nossas andanças pelo mundo, veja os demais posts que já escrevemos:

🌎  Acompanhe nossa viagem de volta ao mundo através de nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/casalwanderlustoficial

Deixe uma resposta