Casal Wanderlust

Dinheiro: como levá-lo na viagem de volta ao mundo

Como levar dinheiro em uma viagem de volta ao mundo? Esta era uma de nossas maiores dúvidas quando começamos a planejar a nossa viagem.

É melhor levar o dinheiro em espécie ou em cartão pré-pago? Devo levar dólares americanos ou moeda local? Traveler cheque é uma boa opção? Ou seria melhor usar cartão de crédito ou de débito? Enfim, como percebemos que estas também são grandes dúvidas de quem está planejando esse tipo de viagem, resolvemos criar este post para contar como nós fizemos e também para apresentar algumas opções e apontar suas vantagens e desvantagens.

Devo levar dólar ou moeda local?

Vai depender do tipo de viagem que você pretende fazer e qual será o seu destino. Como em nosso caso nós passaremos por diversos países, nós optamos pelo dólar por ser uma moeda forte perante quase todas as moedas que utilizaremos na viagem. Mas se você tem como destino paises dentro da União Européia, achamos interessante levar euros.

Relataremos aqui a nossa experiência e falaremos do que foi mais vantajoso no nosso caso. Lembrando que cada viagem tem suas particularidades, roteiros e etc.

Vamos às opções:

Abrir uma conta no Banco do Brasil Américas

Depois de muito pesquisar nós decidimos abrir uma conta em dólares americanos no Banco do Brasil Américas. E é assim que levaremos a maior parte do nosso dinheiro na viagem.

Ter uma conta em dólares no BB Américas nos dará algumas vantagens. A maior delas é poder transferir o dinheiro ($$) da nossa conta bancária do Banco do Brasil para a nossa conta do BB Américas usando o câmbio do dólar comercial e sem pagar taxas!

Muito bom, né? Por isso nós fizemos esse outro post explicando tudinho sobre o processo da abertura da conta e como obter um cartão de crédito e débito em dólar.

Dinheiro em espécie

Além de levarmos nossos cartões do BB Américas nós também levaremos alguns dólares em espécie. Fomos comprando aos poucos, acompanhando sempre a cotação diária da moeda. Choramos quando ela chegou a R$ 4,35. Sorrimos quando ela caiu para R$ 3,15. Faz parte né? Como tivemos 2 anos para este planejamento, fomos comprando aos pouquinhos.

VANTAGENS

  • Fácil manuseio. O dinheiro estará na mão;
  • IOF de 1,1% na compra (menor que o IOF de 6,38% para uso de cartão de crédito/débito);
  • Com o dinheiro na mão você não terá preocupações com taxas e impostos. É só ficar de olho no câmbio quando em um país diferente. Normalmente cambiar na rua te garantirá uma taxa de câmbio melhor;
  • Na maioria dos hotéis e até mesmo em hostels há opções de lockers e cofres onde você poderá guardar a sua grana.

DESVANTAGENS 

  • Risco de roubo. Andar com uma “dinheirama” não é muito seguro na maior parte do mundo. Neste caso procure distribuir o dinheiro colocando parte na doleira (aquela bolsinha que vai dentro da calça), no bolso, carteira, mochila, etc;
  • Valores acima de R$ 10.000, ou o equivalente em outra moeda, devem ser declarados através da Declaração Eletrônica de Valores (DPV). Não há tributação sobre o valor declarado, mas você deverá se apresentar na alfândega, mostrar a declaração e os comprovantes de compra da moeda;
  • É a opção menos segura. Se for roubado, já era! 😔

Cartão de crédito e débito

Para usar o cartão de crédito ou de débito no exterior, o mesmo deverá ser desbloqueado e habilitado. Para isso você deverá ligar para o seu banco ou para a bandeira administradora do cartão (Visa, Mastercard, etc).

Alguns países requerem um desbloqueio específico, como é o caso do Peru e Paraguai, por exemplo. Ao viajar para estes países mesmo que seu cartão seja habilitado para uso no exterior, um desbloqueio específico deve ser solicitado. Fique sempre atento!

VANTAGENS 

  • Milhas para viajar mais! A maioria dos cartões oferece programas de milhagens;
  • Poder sacar moeda local em quase todos os lugares utilizando seu cartão;
  • Para o cartão de débito será utilizado o câmbio do dia da compra e o valor será debitado diretamente da sua conta corrente. Verifique com seu banco esta opção;
  • Oferece seguro contra roubo e possibilidade de bloqueio em caso de roubo ou perda.
  • Seguro internacional. Caso sua passagem tenha sido comprada com o cartão. Isso pode te render uma boa economia! Vale verificar;

DESVANTAGENS

  • IOF de 6,38% para CADA compra. Só essa aí já desanima, né?
  • Taxas que o banco cobra para cada saque ou transação. Varia de banco para banco. É sempre bom consultar o seu;
  • Variação do câmbio para fechamento da fatura do cartão crédito. Se na hora de fechar a fatura o dólar estiver mais caro, já era!
  • Muitas vezes o cartão converte da moeda local do país para o dólar e somente depois para o real. Nessa você “perde” duas vezes;
  • Alguns bancos ainda colocam um lucro de 3 a 6% sobre o valor do dólar turismo na hora da conversão para fechamento da fatura 😱

Cartão pré-pago

Encontrados em muitas casas de câmbio ou agências de turismo nas bandeiras Visa e Mastercard, o Visa Travel Money e o Cash Passport são também boas opções para levar seu rico dinheirinho na viagem.

Normalmente são vinculados a uma moeda: dólar, euro ou libra. Mas também há as opções de cartões multi moedas, como este oferecido pela Confidence.

Esses cartões são desvinculados da sua conta bancária no Brasil. Funcionam com o mesmo conceito do celular pré-pago: você coloca um limite de crédito (neste caso dinheiro) e vai gastando. Você pode utilizar em vários lugares, tais como restaurantes, bares, lojas e também pode fazer saques com eles.

como levar dinheiro na viagem de volta ao mundo

VANTAGENS

  • Boa opção para quem não tem cartão de crédito internacional ou não tem um limite muito alto;
  • Você saberá a cotação da moeda no momento da recarga, diferentemente do cartão de crédito que você só saberá no momento do fechamento da fatura;
  • Você pode acompanhar o saldo e muitas vezes recarregá-lo pela internet;
  • Qualquer pessoa do Brasil poderá recarregá-lo e enviar dinheiro pra você! Olha só, que beleza!?
  • Oferece assistência em caso de perda ou roubo.

DESVANTAGENS

  • Não tem programa de milhagens… fué fué fué fuéééénn…rs
  • IOF de 6,38% a cada recarga;
  • Também cobra taxas a cada saque – algo em torno de USD 2.50 por saque;
  • Se você sacar em uma moeda diferente da que foi carregada (por exemplo, se você sacar em pesos num cartão carregado em dólar) a cotação será sempre desfavorável.

Travelers Cheques

Como o nome já diz, são cheques de viagem emitidos aqui no Brasil e que podem ser sacados no exterior. São cheques de valores pré-estabelecidos nos valores de USD 50, USD 100, USD 500 e USD 1000. Ou em euros nos valores de 50, 100, 200 e 500 euros. A principal empresa que emite esses cheques é a American Express mas você também pode adquiri-los em bancos e casas de câmbio.

VANTAGENS

  • Em caso de roubo ou perda é só avisar a operadora que eles são cancelados e reembolsados.

DESVANTAGENS

  • Poucas lojas e hotéis aceitam travelers cheques como meio de pagamento;
  • Nas casas de câmbio eles são cotados um pouco abaixo do papel moeda;
  • IOF de 6,38% na compra;
  • O prazo de reembolso é de até 48 horas, mas pode demorar mais.

Para os países cuja moeda não é o dólar, é melhor comprar a moeda local aqui no Brasil?

Na maioria das vezes não! Moedas como os bolivianos da Bolívia, pesos mexicanos do México, rands da África do Sul, meticais de Moçambique e etc, não vale a pena comprar por aqui. Essas são moedas com pouca ou nenhuma circulação em nosso país e você perderá com o deságio (preço menor) em torno de 20% ou mais. Vale a pena levar dólares e trocar quando chegar no país de destino.

Mas novamente vale a regra: tudo depende do seu roteiro de viagem. Se você for passar por países como Canadá, Austrália e Suíça por exemplo, talvez valha a pena levar moeda local.

Mas uma coisa é certa e precisamos ter em mente: vamos perder dinheiro no câmbio. Ponto. Por isso é sempre bom avaliar a melhor opção para o seu tipo de viagem.

Como nós faremos

Nós levaremos os cartões de crédito e débito do BB Américas, um cartão de crédito bandeira Visa (para emergências) e uma parte em espécie.

Esperamos que este post possa te ajudar. E não deixe de ler esse outro informativo sobre como abrimos a nossa conta em dólares americanos no BB Américas 😊

17 comentários sobre “Dinheiro: como levá-lo na viagem de volta ao mundo

  1. viajei_compartilhei

    Camila, mto bom o post parabéns. Cofesso que ainda não tenho condições de pensar em uma viagem dessas…masss quem sabe um dia e ler todas as dicas foi ótimo

  2. tikdeviagem

    adorei esse negócio do Banco do Brasil Américas, não conhecia. Realmente, é impossível levar tudo em espécie em uma viagem desse porte. adorei o post!

  3. Dhebora

    Suuuper necessário esse tipo de post! Nunca havia parado pra pensar em como as pessoas faziam em relação ao dinheiro em uma viagem de volta ao mundo. E eu também sequer sabia da existência desse BB Américas.

  4. Livia Zanon

    Ótimo post! Eu viajei com dinheiro em espécie e travel money, no fim a gente sempre sai perdendo muito dinheiro com as taxas e transições, não tem jeito…. =( mas é sempre bom saber das opções!! =D

  5. Roteiros Inesqueciveis

    Excelente post pessoal! Não poderia ser melhor explicado. Nossas últimas viagens foram feitas usando o BB Americas e funciona perfeitamente, além da economia dos 6% de IOF adicional e a diferença de cotação entre o dólar comercial e turismo! Parabéns!

    1. CASAL WANDERLUST Autor da Postagem

      Vocês tiveram dificuldades para cadastrar a senha dos cartões? Estamos com essa dificuldade para cadastrar a senha (PIN) do cartāo adicional…
      Obrigada.

  6. Zelinda Arêas

    Camis, excelentíssimo post! Veio bem a calhar com minha viagem para o continente africano. Pensei em levar só dólares mesmo e trocar lá 😀
    Obrigada pelas dicas. O post está muito bem detalhado!
    Bjs

Deixe uma resposta