Casal Wanderlust

Petra, a cidade perdida dos Nabateus

Uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno e um dos sítios arqueológicos mais visitados do mundo. Petra, a cidade cor-de-rosa, é um dos principais atrativos da Jordânia.

Quem nunca sonhou em conhecer o lugar que serviu de cenário para gravações do filme Indiana Jones e a Última Cruzada, de 1989? É claro que existem motivos mais nobres que podem interessar você, mas confesso que desde criança foi esse filme que fez com que Petra subisse para o topo da minha lista de lugares para conhecer antes de morrer.

Petra é o legado deixado pelos Nabateus, um povo de nômades árabes que chegou na região por volta do século 3 a.C. Foi por muito tempo considerada o eixo do comércio de especiarias naquela região. Porém, o domínio do império romano fez com que o comércio dos Nabateus entrasse em declínio. Petra deixou de estar nas rotas comerciais e sua economia estava cada vez mais decadente. Então, no ano 363, depois de um forte terremoto que destruiu grande parte da cidade, Petra perdeu definitivamente toda a sua importância.

Por 600 anos foi considerada uma lenda, assim como Atlântida ou Tróia. Até que em 1812 foi descoberta pelo explorador suíço Johann Ludwig Burchardt. As escavações começaram por volta de 1920 e mais ou menos na mesma época a cidade foi aberta ao turismo.

Chegada a Petra

Quais atrações visitar em Petra

São muitas! Não vi todas porque não tive tempo. Por este motivo Petra está em nosso roteiro da viagem de volta ao mundo. Mas vou colocar aqui aqueles que consegui apreciar durante essa rápida visita de um dia.

O Tesouro

Muita gente diz que ficou desapontada ao conhecer Petra, especialmente porque dentro da Câmara do Tesouro (a atração mais famosa) não tem NADA. Nadinha! rs. O que vimos nas cenas do filme do Indiana Jones foi, nada mais nada menos, um cenário artificial feito em estúdio. Mas sei lá, não sei se porque eu já sabia dessa parte, ou se porque de fato eu estava realizando um sonho… Só sei dizer que pra mim foi pura emoção!

O Tesouro na verdade é somente a entrada para os diversos caminhos que levam a uma série de outros edifícios, túmulos, templos, aquedutos, arenas bem conservadas e outros diversos monumentos que fazem com que uma visita de um dia não seja suficiente para apreciar todas as belezas de Petra.

The Monastery

Durante o período bizantino, um bispado instalou-se na cidade e utilizou este templo rupestre como catedral. O Monastério Al-Deir possui esse nome por este motivo.

Créditos para a foto: http://visitpetra.jo/

Alto Lugar do Sacrifício

Não sei dizer ao certo que tipo de sacrifícios eram realizados ali, se de seres humanos ou de animais, mas sei que este é o ponto mais alto de Petra e de onde se tem uma bela vista da cidade.

Tumbas Reais

São assim chamadas por serem bem maiores e se destacarem das demais na área, mas não está claro para quem essas tumbas (túmulos) foram originalmente construídas.

Tumba de Obeliscos

Elas estão logo na entrada e este será o seu primeiro contato com Petra.

O Siq

Esse desfiladeiro aí da foto é o Siq. Um corredor de rochas de 1,2 km de comprimento com altura de até 80 metros! São estes corredores que te levam até a Câmara do Tesouro, a principal atração do complexo.

Para quem enfrenta dificuldades de locomoção eles oferecem a opção de fazer o trajeto de carroça e há também (para os turistas que curtem) a opção de ir de camelo.

Camelos Petra

Canais hidráulicos

Os Nabateus eram exímios na construção de sistemas hidráulicos e construíram a cidade a partir de sofisticados canais de água e represas que abasteciam as redondezas. A hidrologia é uma das belezas ocultas de Petra!

Petra

Canais de água por onde corria o sistema de distribuição que abastecia toda a cidade.

Pedras pelo caminho

Tudo por lá é muito bonito, então observe. Veja essa pedra aí parecendo um peixe.

Mais alguém aqui também vê um peixe? rs.

Pedra com carinha de peixe clicada nas minhas andanças pelo Siq

Como chegar

Petra fica no povoado de Wadi Musa ou Vale de Moisés, a 3 horas de Amã, a capital da Jordânia. Os aeroportos mais próximos são os de Amã e Aqaba, que ficam a 240 e 130 km de distância, respectivamente.

O mais comum é chegar em um vôo até Amã e de lá seguir para Wadi Musa de táxi, ônibus ou de excursão. Os ônibus da Cia Jett fazem o trajeto por JOD 10,00 (dinares jordanianos) que equivalem a USD 14,00. Mas eu acabei indo táxi, que custou bem mais caro.

Mapa Petra

Google Maps

Quanto Custa

A entrada para o complexo custa 50 dinares jordanianos. O equivalente a USD 70.00.

Quando ir

A melhor época para visitar Petra são os meses de setembro e outubro e de abril e maio. Nestes meses as temperaturas são mais agradáveis. Eu fui em Julho e quase MORRI de calor, rs.

É seguro?

Embora a Jordânia esteja cercada por vizinhos bastante nervosos (Iraque, Síria e Israel), o país é muito seguro. Eu estava viajando sozinha vinda do Egito, onde já tinha contratado um guia através de uma agência, então acabei contratando todo o passeio com eles também. Mas é bem tranquilo fazer tudo por conta, inclusive o deslocamento até Petra de ônibus. Mas no final das contas fiquei bastante feliz em contratar o guia. Existem alguns detalhes dos locais, do trajeto e até da história que somente quem tem bastante conhecimento poderá lhe contar.

Curiosidades sobre Petra

  • O estilo arquitetônico predominante é o helenístico (grego com influências orientais);
  • A cidade foi parte da importante rede de rotas de comércio das caravanas que transportavam incenso, metais preciosos, ervas e betume do mar Mediterrâneo;
  • A região foi dominada por diversos povos: hebreus, gregos, romanos e bizantinos;
  • A palavra Petra tem origem grega e significa pedra (petrus);
  • É considerada desde 1985 um Patrimônio Mundial da Unesco;
  • As casas geralmente eram menores que as tumbas. Isso porque os Nabateus eram povos que respeitavam profundamente a vida após a morte;
  • Um terremoto em 551 destruiu grande parte da cidade, deixando-a até hoje quase totalmente em ruínas.
  • Segundo guias locais, acredita-se que apenas 20% do sítio arqueológico tenham sido explorados até agora, o que aumenta ainda mais o mistério sobre Petra.

E você? Já esteve em Petra? Conseguiu participar do Petra By Night? Conta pra gente como foi!

 

22 comentários sobre “Petra, a cidade perdida dos Nabateus

  1. tikdeviagem

    nossa, muito legal! primeiro, parabéns pela coragem de viajar sozinha, eu não tenho! ahha.. não sabia que tinha tanta coisa para se ver em petra, adorei!

  2. Thiago Carvalho

    Camila, amei o post! Além de super detalhado e completo, foi super elucidativo quanto à vários pontos que desconhecia, como o processo de descoberta da cidade! Parabéns! É fantástico como as civilizações desse pedacinho do mundo eram tão desenvolvidas há tantos anos atrás!

  3. viajei_compartilhei

    Sensacionallllll Camila, Petra está na minha lista de desejos e com certeza muitas informações úteis estão disponíveis em seu relato.

  4. Dhebora

    Nossa, parece ser incrível! Sonho em um dia conhecer esse lugar! Agora, não sabia que não tinha nada dentro da Câmara do Tesouro hahaha… pra mim, tinha realmente algo de valor lá dentro.

  5. Livia Melo - Viagens & Menus

    Sempre quis conhecer Petra, essa parte do oriente me encanta, e esse post é um verdadeiro guia! Adorei todas as informações e fotos, tudo com muito detalhe. Fico imaginando, se isso foi só 20% do que descobriram, imagine quando o restante for revelado… Ah, e a pedra realmente parece um peixe, rs.

  6. Gabriela Alvarenga

    Amei! Não sabia que tinha tantas atrações. Até agora, as fotos que vi de Petra foram só do Tesouro e algumas do Siq, então eu imaginava que era só andar por ele, ver o tesouro, acender velinhas e tchau. E isso pra mim já tava incrível! Também não sabia que a cidade foi considerada lenda por 600 anos. Demais! Agora tá na minha lista, definitivamente.

Deixe uma resposta