Casal Wanderlust

Puno e os passeios pelo lago Titicaca

Quem vai a Puno no Peru muito provavelmente está pensando em conhecer o Lago Titicaca, o lago navegável mais alto do mundo! Nós fizemos um passeio de dois dias pelo lago passando pelas Ilhas Flutuantes dos Uros, Amantaní e Taquile. Saiba como foi essa experiência aqui neste post 😊

lago-titicaca

Os passeios pelo Titicaca

O Titicaca é o lago navegável mais alto do planeta, com uma altitude de 3.810 metros acima do nível do mar, e 8.372 km² de extensão. Possui 41 ilhas povoadas que fazem parte desse gigantesco e mitológico lago andino, cujas águas provêm do desgelo das montanhas ao seu redor. O Titicaca possui uma profundidade máxima de 300 metros. Imagine só!?

passeios-titicaca

O que nós fizemos

São diversos os passeios vendidos pelas agências de Cusco, Arequipa, Puno, de outras cidades peruanas e até mesmo pela internet. Os passeios podem durar desde meio dia, onde se conhece apenas as Ilhas Flutuantes dos Uros a um custo de USD 35.00 por pessoa, até passeios de dois dias e uma noite, incluindo refeições e hospedagem a um custo de USD 85.00 por pessoa.

Porém, um amigo havia nos indicado um guia em Cusco, o Omar (clique aqui para localizá-lo no Facebook). Através desta indicação nós conseguimos pagar bem mais barato. Pagamos apenas USD 36.00 por pessoa pelo passeio de dois dias e uma noite, incluindo todas as refeições e hospedagem na casa de uma família em Amantaní.

Primeira parada: Ilhas Flutuantes dos Uros

Uma van buscou-nos no hotel as 8h da manhã e levou-nos até o cais, onde um barco com 36 pessoas saiu às 9h. Após uma hora de navegação chegamos nas Ilhas Flutuantes dos Uros.

Sabe aquelas embarcações típicas que aparecem no Google quando pesquisamos pelo Titicaca? Pois é… é lá que você também poderá vê-las.

ilha-flutuante-uros

As ilhas dos Uros são as ilhas flutuantes artificiais sobre as águas do Lago Titicaca. A existência dos Uros vem desde a era pré-colombiana, quando um povo homônimo desenvolveu esta forma de habitação. Hoje sinceramente parece mais aqueles passeios para turista ver, sabe? Mas ainda assim achamos que valeu a pena.

barcos-de-totora

Moradores construindo as embarcações feitas com Totora

Logo na chegada o guia nos convidou a sentar para ouvirmos as explicações sobre como as ilhas são feitas e como são ancoradas, de maneira que não fiquem vagando pelo Titicaca. Imagine se uma ilha vai parar, de repente, em território Boliviano? Evo Morales não ficaria muito feliz…rs.

As ilhas são feitas a base de Totoras, uma planta herbácea aquática bem comum nas regiões de pântanos do Titicaca. Abaixo na foto, uma maquete da ilha, notem a Totora ainda verdinha!

ilha-de-uros

Como dissemos, a impressão que se tem é que tudo ainda está montado para atrair o turismo. Mas é uma experiência muito interessante conhecer sobre a cultura dos Uros, o modo como vivem e principalmente a experiência de andar pelas ilhas. Nos deu uma sensação de estarmos caminhando sobre nuvens fofas flutuantes…haha.

Se quiser, existem opções de passeios que pernoitam por lá! Deve ser interessante também.

Segunda parada: Amantaní

Após deixarmos Uros seguimos por mais 3h de barco até a Ilha de Amantaní.

ilha-amantani

O Titicaca visto de Amantaní

Assim que desembarcamos fomos divididos e acolhidos pelas famílias pré selecionadas para nos receber em suas respectivas casas.

Nós ficamos na casa da Joana, uma viúva e mãe e 4 filhos. Subimos algumas ladeiras leves mas que com a altitude quase morremos!! Só a Joana mesmo para subir nesse pique:

ilha-de-amantani

Ao chegarmos já fomos acomodados em nossos quartos e fizemos nossa primeira refeição: raízes, queijo grelhado, arroz e salada, acompanhados por um chazinho delícia!

casa-familia-amantani

Nosso almoço incluía uma sopinha de entrada, raízes com queijo de ovelha, salada e chá

A alimentação na ilha é toda vegetariana. Ovelhas são criadas apenas para extração de lã e leite. A Joana nos explicou que há intercâmbio de mercadorias entre as ilhas, assim como um revezamento para receber os turistas, visto que grande parte da renda das famílias vem do turismo e da venda de artesanatos. Aliás, é comum as famílias tentarem te vender artesanato.

amantani-island

Nós não demos muita sorte e pegamos a MAIOR chuva no fim do dia. Uma pena porque durante a noite é realizada uma festa na Praça de Armas de Amantaní para todos os turistas. As pessoas se vestem com roupas típicas e tocam músicas animadas. Nós tomamos uma super chuva a tarde e acabamos dormindo bem cedo… perdemos a festança!

As casas que recebem os turistas em Amantaní são SUPER simples! Na casa da Joana por exemplo o banheiro ficava do lado de fora, não tinha descarga automática (era no esquema do balde d’água mesmo) e também não tinha energia elétrica na maioria dos cômodos, somente uma lâmpada que iluminava nosso quarto. Banho? Só de bacia 😊  Então, vá de coração aberto!

Olha uma fotinho tirada pelo filho da Joana, o Pelé:

familia-amantani

Terceira parada: Taquile

No segundo dia acordamos cedinho, tomamos café e navegamos por mais 1h de barco até a Ilha Taquile. E foi de lá que tivemos a vista mais linda do Titicaca:

taquile

Assim como em quase todo vilarejo peruano, em Taquile também tem uma Praça de Armas.

plaza-de-armas-taquile

Ficamos algumas horas na ilha para almoçarmos e apreciarmos o Titicaca. Depois seguimos até Puno, mais 3h de barco. É um trajeto cansativo, mas foi parte de uma experiência super diferente!

taquile-titicaca

Onde ficar em Puno

Nós ficamos no hotel Suites Antonio e pagamos USD 36.00 pela diária. O hotel é super bem localizado, o wifi é ótimo e o café da manhã era delicioso, cheio de frutas.

Já no saguão do hotel você encontrará chá e folhas de coca, além de cilindros de oxigênio, caso passe mal com “Soroche” ou o mal da altitude, como é comumente conhecido.

suites-antonios-puno

E esse tal mal da altitude?

Pois é! Nós sentimos sim! Também conhecemos gente que não sentiu nadinha… No nosso caso não foi nada muito extremo, somente um cansaço fora do normal que sempre nos “pegava” nas subidas. Não tivemos nenhum outro sintoma, não vomitamos e não perdemos nenhum dia de passeio por conta disso. Mas também conhecemos gente que passou super mal.

Assim que chegamos no Peru nós compramos pílulas chamadas “Sorojchi Pills”. Custa R$ 1,90 cada unidade e você toma uma a cada 6 horas. Ajudou bastante! Também abusamos dos chás de coca. Lázaro mascou a folha, mas eu achei o sabor horrível!!! E não, não dá barato..rs.

sorojchi-pills

Como chegar a Puno

Nós fizemos uma viagem de carro do Brasil ao Peru. A viagem de Cusco até Puno durou 6 horas aproximadamente. A estrada é muito boa, lindíssima e nos rendeu paisagens como esta:

estrada-cusco-a-puno

Paisagem na estrada de Cusco a Puno

Também é possível ir de ônibus de turismo. Em Cusco ou Arequipa diversas agências vendem estes passeios a diversos preços, dependendo da duração e quantidade de paradas. Veja aqui no blog Tá indo pra Onde um post sobre o trajeto de Cusco a Puno em um ônibus de turismo.

Gostou das dicas?

Veja também:

➡️  Uma viagem de carro de Porto Velho até Cusco;

➡️  Onde comer bem e barato em Cusco;

➡️  Tudo sobre o boleto turístico de Cusco;

➡️  Visitando o Vale Sagrado dos Incas;

➡️  Machu Picchu: tudo o que você precisa saber!

21 comentários sobre “Puno e os passeios pelo lago Titicaca

  1. Ana Flores

    Primeiramente, suas fotos estão maravilhosas! dá pra viajar junto só de olhar! Segundo, que lugar lindo né?! Cultura e tradição transborda! Achei curioso a alimentação na ilha ser vegetariana! Imaginava que, por causa da altitude precisariam de proteina animal para se manterem bem!

  2. Ruthia

    Camila, sabia muito pouco sobre as ilhas que existem nesse lago, o seu post deixou-me apaixonada. Imagino que ficar na casa de pessoas locais, humildes, tenha feito uma diferença tremenda. Que experiência!
    Parabéns pela aventura e pelo coração aberto.
    Abraço

    1. CASAL WANDERLUST Autor da Postagem

      Ru, foi incrível! E o melhor de tudo é que na noite em que estávamos lá choveu e ficamos na casa da família, jantando e conversando. Não tem coisa melhor, né?
      Beijos e obrigada!

  3. cwrgutierrez

    Tenho muita vontade de conhecer o lago Titicaca, ainda não tive a oportunidade de ir, mas quem sabe irei, vou guardar seu post para quando for.

  4. FabioJr.Alves

    Adorei o seu post, fizemos uma viagem muito parecida em 2014 e consegui me ver lá novamente através do seu relato, como são lindos estes lugares e como é impressionante o povo nas Ilhas Flutuantes dos Uros. Parabéns pela publicação!

  5. Klécia Cassemiro

    Quanta coisa linda pra ver! EU acho tudo no Peru muito convidativo: o povo, as cores, a comida, nossa. Embarco pra lá em setembro e vai ser meu primeiro encontro com o Titicaca, ansiosa!

  6. Gisele Rocha

    Achei esse passeio interessantíssimo! Quando fui, tive a chance de experimentar a totora e trocar uma ideia com as moças que vendem artesanato lá. Só fiquei com mta pena de ver duas mulheres remando aqueles barquinhos lotados de turistas. Todo mundo se revezou pra remar um pouquinho e aliviar o fardo delas.

    1. CASAL WANDERLUST Autor da Postagem

      Olá Bianca, tudo bem?
      Fizemos essa viagem em Outubro e estava bastante frio. Acredito que em Junho, por ser início do inverno, você enfrentará a mesma temperatura.
      Ou seja, dá pra fazer sim!
      O passeio é lindo! Leve um casaco quentinho, uma touquinha e um cachecol e aproveite! Você não vai se arrepender.
      Beijos

Deixe uma resposta