Casal Wanderlust

Experiência de vida: viver em Moçambique!

Incríveis praias desertas de água azul e cristalina, lagos e rios recheados de crocodilos e hipopótamos, imponentes baobás gigantes e centenários, paisagens incríveis, pessoas maravilhosas e um dos pores do sol mais lindos do mundo… Isso tudo você encontra em Moçambique!

Moçambique é país localizado no sudeste do continente africano e conhecido oficialmente como República de Moçambique. Sua língua oficial é o português pois, assim como o Brasil, Moçambique também foi colonizado por Portugal. Veio a libertar-se de Portugal em 1975 mergulhando logo em uma guerra civil que perdurou por mais 15 anos sangrentos! Se quiser saber mais sobre essa parte da história, veja essa matéria aqui.

O que a maioria das pessoas não imagina é a quantidade de belezas que existe em Moçambique, este lindo país africano onde vivemos durante os anos de 2011 e 2014.

Nós decidimos criar este post para mostrar algumas das paisagens e dos cenários mais incríveis que pudemos observar durante as nossas andanças por lá.

A cidade de Tete, em Moçambique

Nós morávamos em Tete, cidade que fica a 1.528 km de Maputo, a capital de Moçambique. Tete é a capital da província de mesmo nome, na região central do país. Isso é meio confuso né? Mas é só imaginar que as províncias equivalem aos nossos Estados aqui no Brasil. Ou seja, a cidade de Tete é a capital da província de Tete. Assim como a cidade de São Paulo é a capital do Estado de São Paulo.

Tete é uma das províncias mais quentes do país. O calor é severo na maior parte do ano, em alguns dias chegando a 50 graus! Ótimo clima para uma cerveja gelada, certo?

Restaurantes em Tete

Com fortes influências sul-africanas e portuguesas, não é difícil encontrar bons restaurantes em Tete. Os nossos favoritos eram o Why Not, que servia lulas e costelinhas maravilhosas.

Tínhamos ainda a opção do Cigana, que no fim da noite virava uma balada, e o Café Del Rio, que oferecia uma vista linda para o Rio Zambeze. É de lá que apreciávamos este pôr do sol:

Pôr do Sol MoçambiquePonte Samora Machel

Um dos cartões postais da cidade é a Ponte Samora Machel, uma ponte rodoviária que atravessa o rio Zambeze. Sua construção teve início na década de 70 e somente foi oficialmente inaugurada em 2014.

Ponte Samora Machel sobre o Rio Zambeze - um dos cartões postais da cidade

As Capulanas

Elas são as cores de Moçambique! A Capulana é um tecido colorido muito usado pelas mulheres moçambicanas como saia, vestido ou turbante. A variedade de cores e motivos constitui-se na maior característica da riqueza cultural do país!

As mamães também usam a Capulana para carregar os seus bebês. Olha essa fofura aí da foto.

Os costumes da população local

Apesar de Tete estar se tornando uma cidade moderna, por conta da influência estrangeira, alguns costumes ainda permanecem bem fortes.

Atividades nas águas do Rio Zambeze

A população aproveita as águas do Rio Zambeze para tomar banho, lavar roupas e louças. O que acaba se tornando uma atividade perigosa em certas partes do rio, já que existem crocodilos e hipopótamos por ali 😳

Os gafanhotos!

Certa vez Dona Joana, uma moçambicana que trabalhava com a gente, estava caçando gafanhotos no pátio. Simpaticamente perguntei o que ele iria fazer com os bichinhos. Ela me disse: “vou comer, oras!”. E eu respondi: nossa, deve ser super gostoso, né?

No dia seguinte ganhei um montão de gafanhotos fritos! Comi, fiz o Lázaro comer também, Claro! hahaha E não, não é ruim. Tem gosto de qualquer coisa frita 😋

Turismo nos arredores de Tete

Durante este período em que moramos por lá nós aproveitamos os feriados locais para conhecer os arredores da cidade. Viajávamos sempre de carro, na maioria das vezes alugado de um amigo nosso, o Abdul.

Magoé e seu charmoso hotel: Casindira Lodge

Uma das nossas primeiras rodadas por ali foi uma viagem que fizemos até Magoé, outro distrito da província de Tete. Foram algumas horas dirigindo por estradas em bom estado de conservação e ainda com lindas paisagens.

Cuidado! Elefantes podem cruzar a pista!

Para quem está partindo da cidade de Tete ou de Moatize é só seguir no sentido do Songo. São 250 km aproximadamente, em um trajeto super tranquilo! Seguimos as placas até encontrarmos um pequeno porto onde deixamos o carro e pegamos um barco para o charmoso hotel Casindira Lodge.

O hotel fica a beira do Lago Cahora Bassa, o lago artificial formado após a construção da hidrelétrica de mesmo nome no Songo  – mais abaixo falaremos um pouco do Songo também.

Foto no porto onde pegamos o barco para o hotel

Foto no porto onde pegamos o barco para o hotel

O hotel é super bacana! Os quartos são enormes e todos possuem varandas com vista para o lago.

Vista da sacada do nosso quarto

Vista da sacada do nosso quarto

Piscina do hotel com vista para o lago

Piscina do hotel com vista para o lago

O próprio hotel oferecia passeios de barco. O valor era meio salgado, em torno de USD 100.00 por casal.  Bem caro, né? Esse é um ponto que logo descobrimos: o turismo em Moçambique não é dos mais baratos. Mas as lindas paisagens sempre fazem valer cada centavo investido. Olha isso:

Por do Sol Casindira

No dia seguinte acordamos bem cedo e tivemos uma surpresa ao olhar pela varanda. Pudemos acompanhar o nascer do sol, outro show da natureza:

Nascer do Sol Casindira

Fizemos mais um passeio de barco antes de ir embora. O sol estava bem quente e o calor já começava a incomodar…. Aí você pode pensar: “já que faz tanto calor, dá pra aproveitar e nadar nesse lago aí né?”. Não dá não!! Não mesmooooo! Além de hipopótamos há também crocodilos enormes que moram por ali. Melhor só curtir a paisagem mesmo 😜

Olha o tamanho dessa criança:

Crocs CasindiraOutra beleza que você sempre poderá observar pelas estradas moçambicanas é o Baobá:

Baobá, a árvore gigante

Também conhecido em Moçambique e Angola como Embondeiro e Imbondeiro. Se você é fã do Pequeno Príncipe certamente se recorda do baobá. Essa esplendorosa árvore que pode chegar a 25 metros de altura e possui capacidade de armazenamento de água dentro de seu tronco de até 100.000 litros! Ele é considerado sagrado, podendo viver de três a seis mil anos! Incrível né?

O Songo e a Hidrelétrica de Cahora Bassa:

A estrada é a mesma que pegamos para chegar até Magoé, porém desta vez não fizemos desvios, seguimos as placas até chegarmos no Songo.

Novamente aproveitamos para curtir o visual da estrada.

Baobás pelo caminho

Baobás pelo caminho

Estradas em ótimo estado de conservação

Estradas em ótimo estado de conservação

Songo é o nome do vilarejo que foi criado para abrigar os trabalhadores da construção da Hidrelétrica de Cahora Bassa, a segunda maior barragem do continente. Ela foi construída na década de 70 no rio Zambeze, que por sua vez, é o quarto maior rio da África.

O turismo da região gira em torno do lago artificial de Cahora Bassa, que foi criado após a construção da hidrelétrica. Ele possui exorbitantes 250 km de comprimento e até 38 km de distância entre as margens.

Cahora Bassa LakeCahora Bassa SongoCrocodile Lake Cahora Bassa

No Songo nós optamos pelo Hotel Ugezi Tiger Lodge. O hotel é simples, o pessoal é super simpático e a comida é muito boa (detalhe importantíssimo). Eles também oferecem passeios de barco pelo lago, para observação ou pesca. Como pescar não é a nossa praia, nós optamos pelo passeio. Mas caso você goste de pescar, lá você terá a oportunidade única de pescar o famoso peixe tigre do Zambeze.

Ugezi Tiger Lodge

A entrada do hotel, a vista da varanda da nossa cabana e a nossa charmosa cabaninha.

E para finalizar o dia e o fim de semana, observamos mais um pôr do sol moçambicano – um dos mais lindos do mundo na nossa humilde opinião:

Por do Sol Zambeze

Moçambique é um país lindo! Veja quantas paisagens maravilhosas nós vimos somente nos arredores da cidade de Tete. Imagine se tivéssemos viajado para outras regiões!?

Ok, mas e as lindas praias desertas que falamos no início deste post? Pois é… É que elas merecem um post só pra elas! Por isso escrevemos este outro exclusivo sobre o MARAVILHOSO litoral Moçambicano. Clique aqui para ver.

Bazaruto

Que tal incluir Moçambique em seu roteiro pela África? Você não irá se arrepender! 😉

 

10 comentários sobre “Experiência de vida: viver em Moçambique!

  1. Laura Wolff

    Baobás me lembram o livro do Pequeno Príncipe, e não é que são lindos demais?!
    Agora os gafanhotos… não sei se eu teria essa coragem toda que vocês tiveram.
    Adorei o post, ficou o máximo!

  2. Paula Marques

    Arrasou nesse post … conseguiste como ninguém colocar em detalhes tudo de bom que Tete e região tem para oferecer . Bateu muitas saudades de tudo que vivenciei nesses lugares das fotos. Parabéns Camila !!!

  3. Em Algum Lugar do Mundo

    Olha, eu nem sei dizer o que mais me encantou nesse post… Cada foto e história melhor que a outra! Também senti que o turismo lá não é dos mais baratos, mas como vc disse vale a pena. Passei um mês por lá pelas regiões de Inhambane, Tofo, Závora e já foi uma viagem bem intensa. Imagino pra vc que morou por lá! É um lugar que te marca pra sempre né? <3
    Beijo!

    1. CASAL WANDERLUST Autor da Postagem

      Adri,
      Foi uma experiência única! Nós queremos muito voltar no próximo ano para conhecermos essas regiões por onde você passou.
      Muito obrigada pelo carinho.
      Beijos!

  4. Noemia

    Laura gostei muito do que vc escreveu de uma forma bem clara sem muitos rodeios. Moramos por quatro anos em Tete agora vivemos em Pemba desde meados do ano passado 2016 lugar paradisíaco. Moçambique é mesmo maravilhoso. ..

Deixe uma resposta